Experiência, inércia e metaliteratura em Paulo Henriques Britto

Laura de Assis Souza

Resumo


O presente trabalho empreenderá uma análise de contos do livro Paraísos artificiais (2004) do escritor brasileiro Paulo Henriques Britto, com o objetivo de discutir de que modo é abordada nessas narrativas a temática do esvaziamento da experiência na contemporaneidade.

 



Palavras-chave


Esvaziamento; Experiência; Literatura contemporânea.

Texto completo:

PDF

Referências


AGAMBEN, Giorgio. Infância e História: destruição da experiência e origem da história.

Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2005.

______. O que é o contemporâneo? e outros ensaios. Chapecó: Argos, 2009.

BLANCHOT, Maurice. O espaço literário. Rio de Janeiro: Rocco, 1987.

BRITTO, Paulo Henriques. Paraísos artificiais. São Paulo: Companhia das Letras, 2004.

______. Tarde. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

BENJAMIM, Walter. Magia e técnica, arte e política. São Paulo: Brasiliense, 1994.

______. Reflexões: a criança, o brinquedo, a educação. São Paulo: Summus, 1984.

COMPAGNON, Antoine. “Vous avez dit contemporain?”. Texto publicado no site

do College de France em 2011. Disponível em:

n.pdf> Acesso em 08 de setembro de 2011.

HUTCHEON, Linda. Narcissistic narrative: the metafictional paradox. New York:

Methuen, 1984.

LIPOVETSKY, Gilles. A era do vazio: ensaios sobre o individualismo contemporâneo. São

Paulo: Manole, 2005.

PINTO, Silvia. “Agruras da ficção contemporânea”. In: Revista Gragoatá número 24.

Niterói: EdUFF, 2008. p. 165;175.

REVEL, Judith. Michel Foucault – conceitos essenciais. São Carlos: Claraluz, 2005.

______. Literatura e vida literária. Rio de Janeiro: Ed. Jorge Zahar, 1985.

SUSSEKIND, Flora. Literatura e vida literária. Rio de Janeiro: Ed. Jorge Zahar, 1985.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Estação Literária
Londrina/ PR
ISSN: 1983-1048
E-mail: estacaoliteraria@uel.br