LEOPOLDO MARÍA PANERO: UM PASSEIO PELOS BOSQUES DA LOUCURA

Vinícius Silva de Lima

Resumo


Este trabalho tem como principal objetivo apresentar a poesia do espanhol Leopoldo María Panero e seu diálogo com uma tradição de subversão literária e de costumes. Mostramos também a relação da obra do poeta com a loucura e a forma como esta é retratada em seus poemas. Panero promove em seus escritos uma aproximação entre vida e obra, usando a literatura como um instrumento de denúncia da falência das instituições modernas, principalmente dos Hospitais Psiquiátricos. O poeta espanhol pode ser considerado mais uma vítima do sistema de exclusão e confinamento social profundamente estudado por Michel Foucault na sua História da Loucura.

This paper has as main objective to present the Spanish poetry of Leopoldo María Panero and his dialogue with a literary tradition of subversion and customs. We also show the relationship of the poet's work with madness and how it is portrayed in his poems. Panero promotes in his writings a rapprochement between life and work, using literature as an instrument of denunciation of the failure of modern institutions, mainly from psychiatric hospitals. The Spanish poet may be considered a victim of the system of social exclusion and confinement deeply studied by Michel Foucault in his History of Madness.


Palavras-chave


Leopoldo María Panero; Poesia Espanhola; Loucura; Leopoldo María Panero; Spanish Poetry; Madness.

Texto completo:

PDF

Referências


CUNHA, Maria Clementina Pereira. O Espelho do Mundo: Juquery, a história de um asilo. 2 ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1988.

FOUCAULT, Michel. História da Loucura na Idade Clássica. 8 ed. São Paulo: Perspectiva, 2009.

GARCÍA, SALVADOR. Leopoldo Maria Panero, El último tabú espanol. La Jornada Morelos, Cuernavaca, México, 2008. Disponível em: http://www.lajornadamorelos.com/columnas/vientre-de-cabra/62482 leopoldo-mariapanero-el-ultimo-tabu-espanol-y-ii. Acesso em 20 jan. 2011.

MOSÉ, Viviane. Stela do Patrocínio: Uma Trajetória poética em uma instituição psiquiátrica. In: PATROCÍNIO, Stela. Reino dos bichos e dos animais é o meu nome. Rio de Janeiro: Azougue Editorial, 2009, p. 13-35

PANERO, Leopoldo Maria. España es la que está loca, no yo: Entrevista por Miguel Mora y Jesús Ruiz Mantilla. El País, Espanha, 9 ago. 2005. Disponível em: http://www.elpais.com/articulo/ultima/Espana/loca/elpportec/20050809elpepiult_1/Tes#despiece1. Acesso em: 21 jan. 2011.

______. Matemática de la locura: Entrevista por Francisco Véjar. Rocinante, n. 84. Santiago, Chile, Outubro 2005. Disponível em: http://www.letras.s5.com/fv161005.htm. Acesso em 24 jan. 2011.

______. Poemas del manicomio de Mondragón. Madri, Espanha: Ediciones Hiperión, 1987.

______. Poesía Completa. Madri, Espanha: Visor Libros, 2001.

PESAVENTO, Sandra Jatahy. Imagens da Violência: o discurso criminalista na Porto Alegre do fim do século. Humanas: Revista do IFCH – UFRGS, Porto Alegre, v. 16, n. 2, p. 109-131, jul./dez., 1993.

WADI, Yonissa Marmitt. Palácio para guardar doidos: uma história das lutas pela construção do hospital de alienados e da psiquiatria no Rio Grande do Sul. Porto Alegre: Editora UFRGS, 2002.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Estação Literária
Londrina/ PR
ISSN: 1983-1048
E-mail: estacaoliteraria@uel.br