AS DUAS FACES DE JANO, OU ÁLVARES DE AZEVEDO CRÍTICO LITERÁRIO

Adriano Lima Drummond

Resumo


A ideia de binomia, que Álvares de Azevedo esclarece no segundo prefácio de Lira dos vinte anos, parece manifestar-se como estrutura discursiva não apenas nesse mesmo livro e na peça Macário, mas também em textos críticos de sua autoria. Neste artigo, analisamos a constituição de uma espécie de sistema crítico-reflexivo binômico, com base no qual o poeta brasileiro propõe-se a compreender o fenômeno da criação poética em geral e as motivações históricas da produção literária universal.

Álvares de Azevedo explains the idea of binomy in the second preface of Lira dos vinte anos. This idea seems to establish as a discursive structure in Brazilian poet’s literary work (Lira dos vinte anos and Macário), as well as his critical texts. In this paper one analyses the make-up of a kind of ‘binomic’ critical-reflexive system, from which Azevedo attempts to understand the phenomenon of poetic creation on the whole and the universal literary production’s historical motivations.


Palavras-chave


Álvares de Azevedo; Crítica literária; Binomia; Romantismo; Álvares de Azevedo; Literary criticism; Binomy; Romanticism.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, C. O belo e o disforme: Álvares de Azevedo e a ironia romântica. São Paulo: Edusp; Fapesp, 1998.

ANTUNES, J. Alvares de Azevedo, o romântico da intelligencia. São Paulo: Revista dos Tribunaes, 1931.

AZEVEDO, Á. Obra completa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 2000.

BOSI, Alfredo. História concisa da literatura brasileira. São Paulo: Cultrix, 2006.

CANDIDO, A. A educação pela noite. In: ______. A educação pela noite e outros ensaios. 2. ed. São Paulo: Ática, 1989, p. 10-22.

______. Álvares de Azevedo, ou Ariel e Caliban. In: ______. Formação da literatura brasileira. 9. ed. Belo Horizonte; Rio de Janeiro: Itatiaia, 2000. v. 2, p. 159-172.

CARVALHO, R. Álvares de Azevedo e a poesia da dúvida. In: ______. Pequena história da literatura brasileira. 7. ed. Rio de Janeiro: F. Briguet & Cia., 1944, p. 225-241.

CHORÃO, J. Leopardi, clássico do romantismo. In: ______. Páginas camilianas e outros temas oitocentistas. Lisboa: Guimarães Editores, 1990, p. 113-125.

FARIA, M. Astarte e a espiral: um confronto entre Álvares de Azevedo e Alfred de Musset. São Paulo: Conselho Estadual de Cultura, 1970.

GARMES, H. O romantismo paulista: os Ensaios Literários e o periodismo acadêmico de 1833 a 1860. São Paulo: Alameda, 2006.

GUINZBURG, J. Portugal, nação melancólica: Bocage interpretado por Álvares de Azevedo. Disponível em: http://www.geocities.com/ail_br/portugalnacaomelancolica.htm. Acesso em: 18 mar. 2009.

HORTA, A. A aventura espiritual de Álvares de Azevedo: estudo e antologia. Brasília: Thesaurus, 2002.

MERQUIOR, J. O marxismo ocidental. 2. ed. São Paulo: Nova Fronteira, 1987.

WELLEK, R. História da crítica moderna: o romantismo. São Paulo: USP, 1967, v. II.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Estação Literária
Londrina/ PR
ISSN: 1983-1048
E-mail: estacaoliteraria@uel.br