ENTRE LÁGRIMAS E RISOS: DA ADESÃO À PARÓDIA DO ROMANTISMO

Andrea Trench de Castro

Resumo


Se o humor e a ironia sempre estiveram presentes como recursos temáticos próprios do Romantismo, constata-se, todavia, que a análise da obra de alguns escritores ainda é realizada sob um viés marcadamente sentimental e da temática amorosa. Neste artigo, proporemos uma aproximação entre os romances A moreninha, de Joaquim Manuel de Macedo e Anátema, de Camilo Castelo Branco, e o poema “É ela!...”, de Álvares de Azevedo, com vistas a verificar a atualização da personagem feminina e suas variadas facetas, através da análise de alguns procedimentos, tais como o cômico, a paródia e a ironia, que desestabilizam o discurso romântico e provocam o riso.

Humor and irony have always been Romanticism’s thematic features. However, it’s widely verified that the analysus of some writer’s work is still based on the perspective of themes like love and emotion. This article intends to compare the novels A moreninha, by Joaquim Manuel de Macedo, and Anátema, by Camilo Castelo Branco, and the poem “É ela…”, by Álvares de Azevedo, in order to verify the construction of the female character and its various facets, through the analysis of some procedures, such as humour, parody and irony, that destabilize the romantic discourse and provoke the laugh.


Palavras-chave


Romantismo; Humor; Paródia; Ironia romântica; Romanticism; Humor; Parody; Romantic irony.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, Cilaine. O Belo e o Disforme: Álvares de Azevedo e a ironia romântica. São Paulo: Edusp/Fapesp, 1998.

AZEVEDO, Álvares de. Lira dos vinte anos. São Paulo: Ateliê Editorial, 2000.

ANDRADE, Pedro Duarte de. Ironia: pátria da arte e da filosofia: a representação alegórica. In: ______. Estio do tempo: o amor entre arte e filosofia na origem do romantismo alemão. Tese (Doutorado em filosofia). Rio de Janeiro, PUC-Rio, 2009, p. 196–218.

BERARDINELLI, Cleonice. Anátema: um romance onde “se prova que o autor não tem jeito para escrever romances”. In: ______. Camilo Castelo Branco: No centenário da morte. Santa Barbara: University of California, 1991.

CAMILO, Vagner. Risos entre pares: poesia e humor românticos. São Paulo: Edusp/Fapesp, 1997.

CANDIDO, Antonio. Formação da Literatura Brasileira: momentos decisivos. Belo Horizonte: Itatiaia, 1981, 2.vols.

CASTELO BRANCO, Camilo. Anátema. In: ______. Obras completas. Porto: Lello & Irmão Editores, 1982, v. I.

COELHO, Jacinto do Prado. Introdução ao Estudo da novela camiliana. Lisboa: Imprensa Nacional – Casa da Moeda, 1982, Vol. II.

FRANCHETTI, Paulo. O riso romântico: Nota sobre o cômico nas poesias de Bernardo Guimarães e seus contemporâneos. Remate de Males, Campinas, v. 7, p. 7-17, 1987.

KIERKEGAARD, Søren. O conceito de ironia. Bragança Paulista: Editora Universitária São Francisco, 2006.

MACEDO, Joaquim Manuel de. A Moreninha. São Paulo: O Estado de S. Paulo/Klick Editora, 1997.

PIRANDELLO, Luigi. O Humorismo. Trad. Dion Davi Macedo. São Paulo: Experimento, 1996.

SCHINDLER, Suzana. Para entender A Moreninha. In: MACEDO, Joaquim Manuel de. A Moreninha. São Paulo: O Estado de S. Paulo/Klick Editora, 1997.

SCHLEGEL, Friedrich. O dialeto dos fragmentos. São Paulo: Iluminuras, 2007.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Estação Literária
Londrina/ PR
ISSN: 1983-1048
E-mail: estacaoliteraria@uel.br