O PORTUNHOL E CAPTAÇÃO DE HERANÇA NOS SONETOS SALVAJES, DE DOUGLAS DIEGUES

Waldyr Imbroisi Rocha

Resumo


As situações de línguas em contato, especialmente em fronteiras entre países, geram um contexto cultural e linguístico propício à mixagem e à troca. O presente trabalho tem como objetivo analisar a obra Dá gusto andar desnudo por estas selvas, de Douglas Diegues, como uma formação cultural da língua própria das fronteiras do Brasil com os países hispanofalantes ao sul. Seus textos escritos em portunhol salvaje geram reflexões baseadas em conceitos como construção de literariedade e de territorialidade e desterritorialização.

The situations of languages in contact, especially in the borders between countries, create an environment which conducts to linguistic and cultural mix and exchange. This paper aims at analyzing the work Dá gusto andar desnudo por estas selvas, by Douglas Diegues, as a cultural formation of the border’s language – more specifically, the border of Brazil with the countries on the South. His texts, written in Portunhol salvaje, lead us to reflections based on concepts like the building of literariness and territoriality and deterritorialization


Palavras-chave


Portunhol; Fronteira; Douglas Diegues; Portunhol; Border; Douglas Diegues.

Texto completo:

PDF

Referências


BELON, Antonio Rodrigues. Wilson Bueno, o poeta de Curitiba: um pequeno retrato em forma de entrevista do cantor das tardes melancólicas da floresta. Revista Literatura e Autoritarismo, n. 14, 2008. Disponível em: http://w3.ufsm.br/grpesqla/revista/num14/art_02.php. Acesso em: 18 abr. 2011.

DIEGUES, Douglas. Dá gusto andar desnudo por estas selvas. Curitiba: Travessa dos Editores, 2002.

______. Portunhol Selvagem. 2010. Disponível em: http://portunholselvagem.blogspot.com. Acesso em: 03 maio 2011.

CARRIZO, Silvina. Projetos literários: linguagens e territórios. Relações literárias interamericanas: Território e Cultura. Org: CARRIZO, Silvina e NORONHA, Jovita Gerhein. Juiz de Fora: Ed. UFJF, p. 23-37, 2011.

CASANOVA, Pascale. A República Mundial das Letras. São Paulo: Estação Liberdade, 2002.

HAESBAERT, Rogério. O mito da desterritorialização: do “fim dos territórios” à multi-territorialidade. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2004.

______. Da desterritorialização a multiterritorialidade. Encontro de Geógrafos da América Latina, 10. 2005. Anais... São Paulo: Universidade de São Paulo, 2005.

LIPSKI, John M. Too close for confort? The genesis of “Portuñol/Portunhol”. In: Selected Proceedings of the 8th Hispanic Linguistics Symposium, ed. Timothy L. Face and Carol A. Klee, 1-22. Somerville, MA: Cascadilla Proceedings Project, 2006.

REIS, Claudia Freitas. Os sentidos de portunhol e spanglish no espaço enunciativo da internet: um estudo das relações de determinação e (des)legitimação. Dissertação (Mestrado Linguística) – Instituto de Estudos da Linguagem da Universidade Estadual de Campinas, 2010.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Estação Literária
Londrina/ PR
ISSN: 1983-1048
E-mail: estacaoliteraria@uel.br