Presença de sacralidade na literatura

Rafael Magno de Paula Costa

Resumo


O artigo visa refletir sobre a natureza das literaturas que trazem em seu bojo a presença de sacralidade na Literatura. Para tanto, faz-se um levantamento de teorias sobre religiões, de Platão à Mircea Eliade, buscando refletir sobre qual o verdadeiro objeto da religião em si e como a literatura constrói esse conceito. A partir do conceito de “hierofania” – que por sua vez significa “manifestação do sagrado” – desenvolvido por Mircea Eliade, busca-se interpretar a presença de “sacralidade” em algumas obras da literatura universal, de forma breve e sucinta, perpassando por seus respectivos estilos, por meio do que seria denominado como “manifestação do sagrado”, partindo da Antiguidade clássica, até a literatura brasileira contemporânea.

 


Palavras-chave


Literatura; Sacralidade; Hierofanias; Teoria Literária.

Texto completo:

PDF

Referências


BOSI, Alfredo. Dialética da colonização. 4 ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

CAMÕES, Luís Vaz de. Os lusíadas. São Paulo: Martin Claret, 2004.

COULANGES, Fustel de. A cidade antiga. Trad. Jean Melville. São Paulo: Martin Claret, 2004.

DALLA PALMA, Moacir. A violência nos contos e crônicas da segunda metade do século XX. Londrina, 2008. Tese de doutorado. CCH – Centro de Ciências Humanas, Universidade Estadual de Londrina.

ELIADE, Mircea. O sagrado e o profano. Trad. Rogério Fernandes. 5 ed. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

______. Tratado de história das religiões. Trad. Fernando Tomaz e Natália Nunes. 3 ed. São Paulo: Martins Fontes, 2008.

MIRANDA, Julia. Horizontes de bruma: os limites questionados do religioso e do politico. São Paulo: Maltese, 1995.

PLATÃO. Eutífron ou Da religiosidade. Col. Os pensadores. São Paulo: Nova Cultural, 2004.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Estação Literária
Londrina/ PR
ISSN: 1983-1048
E-mail: estacaoliteraria@uel.br