¡Matar porque sí!: o horror e a banalidade do mal em "Filas prietas"

Luíza Santana Chaves

Resumo


Este artigo discute os conceitos de violência e de "banalidade do mal" na literatura sobre a Guerra Civil Espanhola, analisando a cena "Filas Prietas", parte da peça Terror y miseria en el primer franquismo (2003) do dramaturgo espanhol José Sanchis Sinisterra.

 


Palavras-chave


Violência; Banalidade do Mal; Guerra Civil Espanhola.

Texto completo:

PDF

Referências


AGAMBEN, Giorgio. Moyens sans fins. Notes sur la politique. Paris: Rivages poche, 2002. Fragmentos traduzidos por: SCHRAMM, Fermin Roland. A Bioética da Proteção entre a Era dos Direitos e o Estado de Exceção. In: Encontro de Bioética da EMERJ – Escola de Magistratura do Estado do Rio de Janeiro, 1. Conferência, Rio de Janeiro: 2005. Mimeo.

______. O estado de exceção. São Paulo: Boitempo, 2004.

______. O que resta de Auschwitz: o arquivo e a testemunha. São Paulo: Boitempo, 2008.

ARENDT, Hannah. Eichmann em Jerusalém: um relato sobre a banalidade do mal. Trad. José Rubens Siqueira. São Paulo: Companhia das Letras, 1999.

______. Sobre a Violência. Trad. André Duarte. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 1994.

ARNOSI, Milagros Sánchez. Presentación. In: SANCHIS SINISTERRA, José. Terror y miseria en el primer franquismo. Madrid: Ediciones Cátedra, Letras Hispánicas, 2003, p. 9-69.

ASSY, Bethânia. Eichmann, banalidade do mal e pensamento em Hannah Arendt. In: MORAES, Eduardo Jardim de; BIGNOTTO, Newton. Hannah Arendt: diálogos, reflexões, memórias. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2001, p. 136-165.

BAKHTIN, Mikhail. Hacia una filosofía del acto ético. De los borradores y otros escritos. Trad. e notas: Tatiana Bubnova. Barcelona: Anthropos/EDUPR, 1997.

FREUD, Sigmund. O estranho. In: ______. Edição Eletrônica Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud. Rio de Janeiro: Imago, 1980.

IRAZÁBAL, Federico. El giro político. Una introducción al teatro político en el marco de las teorías débiles (debilitadas). Buenos Aires: Biblios, 2004.

KERTESZ, Imre. A língua exilada. Trad. Paulo Schiller. São Paulo: Companhia das Letras, 2004.

LEVI, Primo. É isto um homem?. Trad. Luigi del Re. Rio de Janeiro: Rocco, 2000.

RICŒUR, Paul. O mal: um desafio à filosofia e a teologia. Trad. Maria da Piedade Eça de Almeida. Campinas: Papirus, 1988.

SANCHIS SINISTERRA, José. Terror y miseria en el primer franquismo. Ed. e Introd. Milagros Sánchez Arnosi. Madrid: Cátedra, 2003.

SOUKI, Nadia. Hannah Arendt e a banalidade do mal. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 1998.

STARKE, Linda. As Cinco Etapas da Evolução Moral da Empresa. In: RAY, Michael; RINZLER, Alan (orgs.). O Novo Paradigma nos Negócios. Trad. Gilson César Cardoso de Sousa. São Paulo: Cultrix, 1999. pp. 186-187.

TODOROV, Tzvetan. Los abusos de la memoria. Trad. Miguel Salazar. Barcelona: Paidós, 2000.

WEINRICH, Harald. Lete. Arte e crítica do esquecimento. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Estação Literária
Londrina/ PR
ISSN: 1983-1048
E-mail: estacaoliteraria@uel.br