A violência como reflexo do pós-modernismo em Feliz ano novo, de Rubem Fonseca

Sergio Manoel Rodrigues

Resumo


Problemas como o tráfico de drogas, o consumismo e a perda dos valores morais revelam o caos em que a sociedade atual se instaurou. No entanto, tais mazelas apresentam como resultante as diversas formas de agressão contra o ser humano. A violência do mundo contemporâneo é a temática do conto de Rubem Fonseca, cuja estética vai além do mero relato de uma problemática cotidiana. É nesse contexto conturbado que o conto rubiano assume poder de crítica e de narrativa pós-moderna.

 


Palavras-chave


Violência; Pós-Modernismo; Rubem Fonseca.

Texto completo:

PDF

Referências


COMPAGNON, Antoine. O autor. In: ______. O demônio da teoria: Literatura e senso comum. Belo Horizonte: UFMG, 2006. p. 47-96.

EAGLETON, Terry. As ilusões do Pós-Modernismo. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1998.

FILHO, Domício Proença. Pós-Modernismo e Literatura. São Paulo: Ática, 1988.

FONSECA, Rubem. Feliz ano novo. In: ______. Feliz ano novo: contos. São Paulo: Companhia das Letras, 2005. p. 13-21.

FREITAS, Luiz Carlos de. Uma Pós-Modernidade de libertação: reconstruindo as esperanças. Campinas: Autores Associados, 2005.

GUINSBURG, J. Quadro histórico do Pós-Modernismo. In: ______. O Pós-Modernismo. São Paulo: Perspectiva, 2006. p. 23-158.

LIPOVETSKY, Gilles. Modernismo e Pós-Modernismo. In: ______. A era do vazio: ensaios sobre o individualismo contemporâneo. São Paulo: Manole, 2005. p. 59-110.

MOISÉS, Massaud. Rubem Fonseca. In: ______. A literatura brasileira através dos textos. São Paulo: Cultrix, 2000. p. 582-588.

PAZ, Octavio. Os filhos do barro: do Romantismo à vanguarda. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1984.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Estação Literária
Londrina/ PR
ISSN: 1983-1048
E-mail: estacaoliteraria@uel.br