Ideologia na literatura juvenil brasileira: Uma análise do livro Isso ninguém me tira (1994), de Ana Maria Machado

Érica Fernandes

Resumo


Analisa-se a representação da ideologia na literatura infanto-juvenil brasileira no romance Isso Ninguém Me Tira, de Ana Maria Machado. O objetivo é verificar como a ideologia está representada nesse âmbito e como o leitor interage com o texto para filtrá-la. A metodologia baseia-se em textos que abordam e problematizam a presença de arcabouços ideológicos nos livros infanto-juvenis desenvolvidos por Machado, Rosenberg, Chauí dentre outros. Os resultados mostram que preceitos ideológicos atuam na formação do leitor, mas não se apresentam como obstáculos à leitura desde que estejam subordinados ao escopo estético da obra.


Palavras-chave


Ideologia; Literatura; Interação.

Texto completo:

PDF

Referências


BONNICI, Thomas. Teoria e Crítica Literária Feministas: Conceitos e Tendências. Maringá: Eduem, 2007.

BOURDIEU, Pierre. A dominação masculina. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2005.

CHAUÍ, Marilena de Souza. O que é ideologia. São Paulo: Brasiliense, 1994. (coleção primeiros passos: 13).

LAURETIS. Teresa de. A tecnologia do gênero In: HOLLANDA, H. B. Tendências e impasses: o feminismo como critica da cultura. Rio de Janeiro: Rocco, 1994.

MACHADO, Ana Maria. Isso ninguém me tira. São Paulo: Ática, 1994.

______. Contracorrente. Conversas sobre leitura e política. São Paulo: Ática, 1999.

MARCONDES FILHO, Ciro. Ideologia. São Paulo: Global, 1997. (coleção para entender: 1)

ROSEMBERG, Fúlvia. Literatura infantil e ideologia. São Paulo: Global, 1994. (teses: 11).


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Estação Literária
Londrina/ PR
ISSN: 1983-1048
E-mail: estacaoliteraria@uel.br