O mundo prosaico de João Gilberto Noll

Diego Gomes do Valle

Resumo


O nosso trabalho se baseia nas análises dos romances de João Gilberto Noll. Tais análises são norteadas pelo apoio teórico de Mikhail Bakhtin, no que tange à voz romanesca (prosaica) e ao temas prosaicos, no sentido lato do termo, ou seja, o prosaico enquanto cosmovisão, em oposição a qualquer concepção idealizante da realidade.


Palavras-chave


João Gilberto Noll; Mikhail Bakhtin; Prosaísmo.

Texto completo:

PDF

Referências


BAKHTIN, Mikhail. Questões de literatura e estética: a teoria do romance. 4. ed. São Paulo: Editora UNESP, 1998.

______. Problemas da Poética de Dostoiévski. Trad. Paulo Bezerra. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1997.

______. A Cultura Popular na Idade Média e no Renascimento: o contexto de François Rabelais. 4ª ed. São Paulo-Brasília: Edunb/HUCITEC, 1999.

FOUCAULT, Michel. História da Sexualidade: o uso dos prazeres. Trad. Maria Thereza da C. Albuquerque. Rio de Janeiro: Graal, 1990.

JOYCE, James. Ulisses. Trad. Bernardina da Silveira Pinheiro. Rio de Janeiro: Editora Objetiva, 2005.

MARCUSE, Herbert. Eros e Civilização: uma interpretação filosófica do pensamento de Freud. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1972.

NOLL, João Gilberto. Hotel Atlântico. São Paulo: Francis, 2004.

______. Harmada. São Paulo: Companhia das Letras, 1993.

ROUGEMONT, Denis de. O amor e o ocidente. Trad. Paulo Brandi e Ethel B. Cachapuz. Rio de Janeiro: Editora Guanabara, 1988.

SANTIAGO, Silviano. Nas malhas da letra. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Estação Literária
Londrina/ PR
ISSN: 1983-1048
E-mail: estacaoliteraria@uel.br