Ciranda de pedra: Uma pequena análise sob a luz de Schopenhauer

Carina Bertozzi de Lima

Resumo


O objetivo deste trabalho é apresentar uma leitura da obra Ciranda de Pedra, de Lygia Fagundes Telles, sob a influência das teorias de Arthur Schopenhauer, em que a Vontade atua como elemento delimitador e modelador do comportamento dos personagens.


Palavras-chave


Ciranda de Pedra; Schopenhauer; Literatura; Pessimismo.

Texto completo:

PDF

Referências


BARBERA, Sandro. Une philosofie du conflit: études sur Schopenhauer. Trad. p/ fins didáticos Volnei Edson dos Santos. Paris: PUF, 2004.

BARRETO, Breno. Baudelaire e a modernidade. Disponível em:

http://meiodia.wordpress.com/2007/10/30/baudelaire-e-a-modernidade. Acesso em: 14 jan. 09.

SCHOPENHAUER, Arthur. Le monde comme volonté et comme representation. Suplementos: Da afirmação da vontade de viver (De l'áffirmation de la volonté de vivre), Da insignificância da vida (De la vanité e des souffrances de la vie) e O caráter da Vontade-de-viver (Caractère du vouloir-vivre). Trad. p/ fins didáticos Volnei Edson dos Santos. Paris: PUF, 1996.

______. Metafísica do amor, metafísica da morte. Trad. Jair Barboza. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

______. O mundo como vontade e como representação. Trad. Jair Barboza. São Paulo: Editora UNESP, 2005.

MOISÉS, Massaud. Dicionário de termos literários. São Paulo: Cultrix, 1974.

TELLES, Lygia Fagundes. Ciranda de pedra. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1996.

______. As personagens dos meus livros são mais loucas do que eu. Editorial Presença. 2005. Disponível em: http://www.presenca.pt/imprensa_detalhe.asp?id=265&pagina=.

Acesso em: 15 jan. 09.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Estação Literária
Londrina/ PR
ISSN: 1983-1048
E-mail: estacaoliteraria@uel.br