O romance de formação: Um passeio pelos caminhos de Stephen Dedalus e Virgínia

Debora Carla Santos Guedes

Resumo


O presente trabalho objetiva fazer uma leitura de Retrato do artista quando jovem (de James Joyce) e Ciranda de pedra (de Lygia Fagundes Telles), na perspectiva do desenvolvimento e formação intelectual dos dois jovens protagonistas, em suas confluentes caracterizações. Por serem romances que se aproximam de Os anos de aprendizado de Wilhelm Meister, de Goethe, as obras são identificadas como desdobramento do Bildungsroman, gênero que se consolidou ao longo dos séculos. Contudo, observo que expressam diferenças significativas em suas constituições por seus autores pertencerem a contextos distintos.


Palavras-chave


Bildungsroman; Cânone literário; Literatura feminina.

Texto completo:

PDF

Referências


BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. Trad. Paulo Bezerra. 4 ed., São Paulo: Martins Fontes, 2003.

BERMAN, Antoine. A prova do estrangeiro: cultura e tradução na Alemanha romântica. Trad. Maria Emília Pereira Chanut. Bauru-SP: EDUSC, 2002.

JOYCE, James. Retrato do artista quando jovem. Trad. José Geraldo Vieira. 5 ed., Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001.

LUKÁCS, George. Posfácio. In: GOETHE, Johann Wolfgang Von. Os anos de aprendizado de Wilhelm Meister. Trad. Nicolino Simone Neto. São Paulo: Editora 34, 2006.

MAAS, Wilma Patrícia. O cânone mínimo: o Bildungsroman na história da literatura. São Paulo: Editora UNESP, 2000.

PINTO, Cristina Ferreira. O Bildungsroman feminino: quarto exemplos brasileiros. São Paulo: Perspectiva, 1990.

TELLES, Lygia Fagundes. Ciranda de pedra. São Paulo: Círculo do Livro, 1988.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Estação Literária
Londrina/ PR
ISSN: 1983-1048
E-mail: estacaoliteraria@uel.br