Eça de Queirós em Os inglezes do Egipto: na mira do orientalismo

Patrícia Ayres Pereira, Thomas Bonnici

Resumo


A proposta deste estudo apresenta-se numa leitura crítica do texto não-ficcional Os Inglezes no Egipto, do português Eça de Queirós, sob a perspectiva do orientalismo, corpo de conhecimentos acerca das relações entre centro e periferia, que objetiva compreender a realidade e condições em que certos setores da humanidade se encontravam e se encontram excluídos pelos detentores da hegemonia colonial, bem como desvendar a visão crítica-reflexiva do jornalista, enquanto português situado numa condição semiperiférica.

 


Palavras-chave


Os Inglezes no Egipto; Orientalismo; Hierarquização; Outremização.

Texto completo:

PDF

Referências


BERRINI, B. “Eça de Queiroz: precursor da modernidade”. In: Eça e Machado. Beatriz Berrini (org.). São Paulo, Editora PUC-SP, 2005.

BONNICI, Thomas. Conceitos-chave da Teoria Pós-Colonial. Maringá: Eduem, 2005.

______. O Pós-Colonialismo e a Literatura. Maringá: Eduem, 2000.

______; ZOLIN, Lúcia Ozana (orgs). Teoria Literária: Abordagens históricas e tendências contemporâneas. Maringá: Eduem, 2005.

MARINHO, M. de F. A intromissão da história na ficção de Eça de Queirós. In: BERRINI, Beatriz (org.). Eça e Machado. São Paulo, Editora PUC-SP, 2005.

MINÉ, Elza; CAVALCANTE, Neuma (edição). Textos de imprensa IV (da Gazeta de Notícias). Lisboa: Imprensa Nacional-Casa da Moeda, 2002. (Edição Crítica das Obras de Eça de Queirós).

PEREIRA, Lúcia Miguel; REYS, Câmara (org.). Livro do Centenário de Eça de Queirós. Lisboa; Rio de Janeiro: Edições Dois Mundos, 1945.

SAID, Edward W. Orientalismo. O Oriente como invenção do Ocidente. São Paulo, Companhia das Letras, 1990.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Estação Literária
Londrina/ PR
ISSN: 1983-1048
E-mail: estacaoliteraria@uel.br