Representação e movimento do sujeito em um exemplar do discurso do MST

Maria Cleci Venturini

Resumo


RESUMO: Nosso objeto de pesquisa é uma entrevista realizada com um líder e membro de um assentamento no interior do Paraná.  Pelo discurso do MST, é possível dizer que o sujeito, em sua manifestação oral, se representa de diferentes formas: diz eu e se constitui como sujeito porta-voz, à medida que assume responsabilidade pelo dizer. Outras vezes, divide a responsabilidade com os demais membros do assentamento e utiliza a primeira pessoa do plural (nós). Em outras, ainda, emprega a terceira pessoa do plural (eles).  Ancoramo-nos nos pressupostos teóricos da Análise do Discurso, teoria centrada não nos conteúdos dos textos, mas nos modos como se constituem efeitos de sentidos. Dessa perspectiva, entendemos que a interpelação ideológica e o atravessamento do inconsciente significam no modo como o sujeito se movimenta e se desloca na ordem do discurso.


Palavras-chave


Sujeito, discurso, memória, identidade

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1519-5392.2012v12n1p



Revista Entretextos

Pós-Graduação em Estudos da Linguagem

Universidade Estadual de Londrina

Londrina - PR

ISSN: 1519-5392

 

Email:

entretextos@uel.br


 

 Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional