O léxico paulista: o caso do urubu e do corvo numa perspectiva geolinguística

Greize Alves Silva-Poreli

Resumo


Este trabalho tem como proposta descrever e analisar as variantes lexicais para o seguinte questionamento: “Qual a ave preta que come animal morto, podre?” comumente conhecido por urubu. Como corpus para a análise utilizamos os inquéritos coletados pelo Projeto Atlas Lingüístico do Brasil - ALiB em 38 cidades paulistas, totalizando 152 informantes. Propomos descrever a motivação para as designações e também apresentamos um esquema de cartografação experimental utilizando os preceitos da sociolingüística aliados ao método da geolinguística.

Palavras-chave


Variação Lingüística, Léxico, Português falado

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1519-5392.2011v11n1p



Revista Entretextos

Pós-Graduação em Estudos da Linguagem

Universidade Estadual de Londrina

Londrina - PR

ISSN: 1519-5392

 

Email:

entretextos@uel.br


 

 Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional