Os valores semânticos das preposições “a” e “para” em manuscritos dos séculos XVIII e XIX

Cláudio de Assis da Cunha

Resumo


Este trabalho apresenta um levantamento das ocorrências das preposições “a” e “para” em documentos da Vila Antonina a fim de estudar seus valores semânticos.  O corpus é constituído de documentos manuscritos que foram transcritos e passaram por edição semidiplomática. Como referência para verificar os valores atribuídos às preposições “a” e “para” foram consultadas cinco gramáticas: Napoleão Mendes de Almeida (1999), Gladstone Chaves de Melo (1968), Rocha Lima (2003), Celso Cunha (1981), e Evanildo Bechara (2004), Nos 34 documentos, foram encontradas 283 ocorrências da preposição a, e 128 ocorrências da preposição para. Esta produção ocorreu num período compreendido entre os séculos XVIII e XIX. Todas as preposições “a” e “para” foram retiradas do texto com o auxílio da ferramenta Lexico3. O enquadramento semântico das preposições foi feito com o auxílio do programa Systemic Coder, programa esse que apresenta uma tabela constando a frequência do uso de cada preposição com seus respectivos valores semânticos. 


Palavras-chave


Preposições. Manuscritos. Valor Semântico.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1519-5392.2010v10n1p



Revista Entretextos

Pós-Graduação em Estudos da Linguagem

Universidade Estadual de Londrina

Londrina - PR

ISSN: 1519-5392

 

Email:

entretextos@uel.br


 

 Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional