O gênero crônica argumentativa e a construção de sua aprendizagem pelos alunos: a atuação do professor e do livro didático de português

Sílvio Ribeiro da Silva

Resumo


Neste texto, apresentamos uma reflexão acerca de como o livro didático de Português – LDP – e o professor propõem o ensino de produção escrita da crônica argumentativa numa sala de aula de 8° ano de uma escola pública. A pergunta motivadora é: como a crônica argumentativa é trabalhada nas atividades de produção escrita de um LDP e como o professor transmite esse trabalho aos alunos? Para respondê-la, apresentamos um estudo baseado nos procedimentos metodológicos da Linguística Aplicada (LA) com base interpretativista, focalizando o processo de uso da linguagem. O corpus de análise é constituído pela proposta de produção escrita apresentada pelo LDP Português – Linguagens, pelas aulas em que a professora desenvolveu as atividades relacionadas a essa proposta de produção e pelos textos escritos pelos alunos. A base teórica principal de apoio à análise dos dados é constituída de Perelman & Olbrechts-Tyteca (2005), Toulmin (2006) e Schneuwly (1988). Com a análise dos dados, percebemos que os alunos conseguem, de maneira geral, produzir textos argumentativos escritos, levando para eles reflexos do conhecimento extraescolar sobre sua produção, tendo em vista marcas estilísticas e temáticas, detectadas nos textos, não ensinadas pelo LDP nem pela professora.


Palavras-chave


Ensino/aprendizagem de língua materna. Argumentação. Livro Didático de Português. Produção de Textos Escritos.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1519-5392.2010v10n1p



Revista Entretextos

Pós-Graduação em Estudos da Linguagem

Universidade Estadual de Londrina

Londrina - PR

ISSN: 1519-5392

 

Email:

entretextos@uel.br


 

 Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional