Crenças: considerações do alunado em relação ao ensino de Língua Portuguesa

Greize Alves da Silva-Poreli, Vanessa Yida, Vanderci de Andrade Aguilera

Resumo


O presente trabalho discute os resultados de uma pesquisa realizada com alunos da rede pública de ensino, quanto às crenças (valoração positiva ou negativa) em relação ao ensino de língua portuguesa. Baseando-se em preceitos de Wallace Lambert (1972), com relação à psicologia da linguagem, busca-se analisar as crenças e eventuais atitudes dos alunos em relação ao ensino de Língua Portuguesa. Para tanto, foram aplicados questionários com oito questões a dez estudantes (ambos os sexos, na faixa etária de 15 a 16 anos) do segundo ano do ensino médio de um tradicional colégio na região central de Londrina – PR. Os resultados geraram cinco gráficos para auxílio da visualização das respostas dos entrevistados. Concluiu-se que: (i) as crenças negativas se encontram mais atreladas ao professor; (ii) os alunos não conseguem estabelecer uma relação entre o ensino de língua portuguesa e sua aplicação na vida profissional, pelo distanciamento dos métodos de ensino de sua realidade social; (iii) as alunas apresentam maior desenvoltura no uso da linguagem ao responder o questionário do que os alunos.


Palavras-chave


Crenças. Ensino. Língua portuguesa.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1519-5392.2010v10n1p



Revista Entretextos

Pós-Graduação em Estudos da Linguagem

Universidade Estadual de Londrina

Londrina - PR

ISSN: 1519-5392

 

Email:

entretextos@uel.br


 

 Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional