“O RISCO DO EFEITO CONTRÁRIO”: A CONTRADIÇÃO COMO PROCESSO DISCURSIVO

Marilda Aparecida Lachovski

Resumo


Embasados na perspectiva da Análise de Discurso (AD), postulada por Michel Pêcheux, na França, e Eni Pulccinelli Orlandi, no Brasil, entendemos a contradição como um elemento fundamental na produção de sentidos e discursos, sendo ela constitutiva do dizer, sinalizando para a incompletude e não transparência da língua. Neste sentido, analisamos, neste trabalho, como a produção de sentidos é atravessada pelas relações língua/sujeito/história, desorganizando os discursos e os efeitos de sentidos, atestando para a evidência de que ao dizer o sujeito é autônomo. Nosso corpus é composto de comentários na rede social Facebook sobre a campanha da cerveja Puro Malte Rosa Vermelha Mulher e, por ele buscamos refletir como se produz o efeito contrário, ou a contradição, discursivamente, nas relações de sentidos e sujeitos, movimento que permite o deslize, a falha e o sentido outro, em discurso. Retomamos as noções de sujeito e suas tomadas de posição, a ideologia e a contradição como elementares para o processo de constituição e formulação do dizer, espaço movente de deslocamento e (des)organização de sentidos e sujeitos. 


Palavras-chave


sentido; sujeito; ideologia; contradição; discurso.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1519-5392.2017v17n2p255

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

Revista Entretextos

Pós-Graduação em Estudos da Linguagem

Universidade Estadual de Londrina

Londrina - PR

ISSN: 1519-5392

 

Email:

entretextos@uel.br


 

 Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional