A oralidade no Ensino Médio: Uma análise da Base Nacional Comum Curricular

Edna Pagliari Brun

Resumo


Em 2015, foi disponibilizado à opinião pública o texto da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), cujo objetivo é possibilitar o redesenho curricular da Educação Básica. Tendo como prerrogativa as Diretrizes Curriculares Nacionais, a base comum deve privilegiar a intertextualidade entre os componentes curriculares e o direito à aprendizagem e ao desenvolvimento do estudante. Devido à importância do Documento para a redefinição dos rumos da educação no país e para a formação inicial e continuada de professores, a pesquisa, que se inscreve nos quadros da Linguística Aplicada, analisou um aspecto do ensino de língua portuguesa no Documento Oficial: a oralidade. Nessa análise, privilegiamos a modalidade falada da língua e o tratamento dado a ela na BNCC. Os primeiros resultados apontaram que o Documento apresenta um desequilíbrio acentuado na proposição de objetivos de aprendizagem da modalidade oral e da escrita, bem como na maneira como são propostos, evidenciando a possível predileção da Base pelo ensino desta em detrimento daquela.

Palavras-chave


Base Nacional Comum Curricular; Oralidade; Trabalho prescrito docente.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1519-5392.2017v17n1p231

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

Revista Entretextos

Pós-Graduação em Estudos da Linguagem

Universidade Estadual de Londrina

Londrina - PR

ISSN: 1519-5392

 

Email:

entretextos@uel.br


 

 Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional