A representação do feminino na mitopoese amazônica

Fernando Alves da Silva

Resumo


O presente artigo tem como objetivo analisar a personagem de uma narrativa oral mítica amazônica a partir de sua construção imaginária e simbólica. A mitopoese em questão corresponde ao caso de uma velha erveira que se metamorfoseia em onça para atacar um jovem de sua comunidade. Nesse caso, a análise será feita com base no conceito de imaginário que circunda a valoração negativa dessa senhora por meio de uma construção histórica, valoração esta que também é representação. Para tanto, partimos da leitura simbólica (CHEVALIER; GHEERBRANT, 2009) e do conceito de imaginário como a representação sensível de um discurso oral (MAFESSOLI, 2001), para entendermos que a imagem formada da mulher está para além da realidade factual, pois compõe uma realidade sensibilizada, uma maneira outra de representar. A maneira como a imagem da mulher é formada nesta narrativa também passa pela leitura de Beauvoir (1961) uma vez que sua imagem, quando colocada em cena, parte de uma fala que a reconstrói por meio do medo de sua constituição enquanto feminino.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1519-5392.2014v14n1p



Revista Entretextos

Pós-Graduação em Estudos da Linguagem

Universidade Estadual de Londrina

Londrina - PR

ISSN: 1519-5392

 

Email:

entretextos@uel.br


 

 Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional