A leitura em português como L2: análise das possíveis crenças dos professores de surdos

Patrícia Araújo Vieira, Vera Lúcia Santiago Araújo

Resumo


O ICES (Instituto Cearense de Educação dos Surdos) é uma escola pública de Fortaleza - CE freqüentada apenas por alunos surdos. Essa escola tem como proposta educacional o Bilingüismo que considera a LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais) como a língua natural dos surdos e a língua portuguesa a sua segunda língua (L2). Devido ao fato de essa escola ter passado por várias transformações educacionais, inúmeras crenças entre os professores começaram a surgir, visando fazer os alunos surdos se tornarem proficientes em leitura em língua portuguesa (L2). Nessa pesquisa foram entrevistados quatro professores de língua portuguesa para os surdos, sendo dois formados no curso de Letras e dois formadosem Pedagogia. Elesfazem parte do quadro docente do ICES e seu tempo de trabalho nessa instituição foi bem diferenciado. Esse estudo revelou que as crenças dos professores sobre o ensino de leitura em L2 para os surdos têm influenciado suas ações na sala de aula, além de impedir ações que poderiam ser benéficas ao desenvolvimento leitor desses alunos, conforme o que professam Barcelos (2003) e Wood (2003).


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1519-5392.2007v7n1p



Revista Entretextos

Pós-Graduação em Estudos da Linguagem

Universidade Estadual de Londrina

Londrina - PR

ISSN: 1519-5392

 

Email:

entretextos@uel.br


 

 Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional