Balanço crítico da Geolinguística brasileira e a proposição de uma divisão

Valter Pereira Romano

Resumo


Este artigo propõe-se a fazer um balanço crítico da Geolinguística no Brasil, uma vez que a elaboração de atlas linguísticos tem alcançado inúmeros avanços no território nacional desde seu início em 1963, ano em que Nelson Rossi publicou o primeiro atlas linguístico de um estado brasileiro, o Atlas Prévio dos Falares Baianos (ROSSI, et al., 1963). Para tanto, parte de uma revisão da bibliografia com a finalidade de apresentar o estado da arte nesse cenário e propor uma divisão bipartida dos estudos geolinguísticos, considerando-se as características metodológicas de cada trabalho e as influências do Projeto Atlas Linguístico do Brasil neste campo de estudo.

Palavras-chave


Geolinguística brasileira; Balanço crítico; Proposta de divisão.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1519-5392.2013v13n2p



Revista Entretextos

Pós-Graduação em Estudos da Linguagem

Universidade Estadual de Londrina

Londrina - PR

ISSN: 1519-5392

 

Email:

entretextos@uel.br


 

 Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional