A variação estilística na fala dos moradores castrenses e londrinenses: em busca do diminutivo –inho

Dayme Rosane Bençal, Joyce Elaine de Almeida Baronas, Wéllem Aparecida de Freitas Semczuk

Resumo


RESUMO: O uso de palavras no diminutivo já se tornou uso coloquial entre os falantes. Estudos nos mostram que os sufixos diminutivos imprimem caráter expressivo em situações coloquiais. Esta pesquisa sociolinguística teve por intuito descrever o uso de palavras acrescidas pelo sufixo –inho, na classe dos nomes, na fala coloquial de castrenses e londrinenses, na faixa etária entre 40 e 60 anos. As variáveis extralinguísticas sexo, escolaridade e as narrativas sobre infância, lazer, família, animal de estimação foram relevantes em detrimento dos assuntos: política e bairro. A caracterização teórica da pesquisa variacionista apontou para o fato de que a variação estilística está presente em todas as esferas sociais nos diferentes fatores condicionantes. Nossa hipótese inicial de encontrar o sufixo –inho com caráter expressivo na fala dos informantes procedeu. O resultado dessa pesquisa mostrou o caráter socioestilístico que esse sufixo pode abarcar em situações informais.

 


Palavras-chave


Sociolinguística; sufixos; linguagem informal.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1519-5392.2013v13n1p



Revista Entretextos

Pós-Graduação em Estudos da Linguagem

Universidade Estadual de Londrina

Londrina - PR

ISSN: 1519-5392

 

Email:

entretextos@uel.br


 

 Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional