Um debate sobre a produção textual sugerida no ENEM e as atividades de linguagem praticadas na escola

Maria Ilza Zirondi

Resumo


Os gêneros textuais, como ações vivas de linguagem e, constantemente, mutáveisrealizadas por sujeitos sociais, constituem-se de número e aspecto ilimitado mediante asinfindáveis situações, funções e facetas do agir humano. Atrelados a objetivos da lingüísticaem refletir sobre o uso da linguagem como ferramenta para o desenvolvimento humano(DOLZ & SCHNEUWLY, 2004), propomos com esse trabalho apresentar reflexões acerca doExame Nacional do Ensino Médio (ENEM), sob uma visão sócio-interacionista da linguagem(BRONCKART, 1999/2006). Buscamos, assim, debater sobre a produção textual sugeridana Prova (teste empírico da capacidade escrita/argumentativa) e as atividades de linguagempraticadas na escola. Preocupados com a importância social que reveste o teste, buscamosdiscutir esse grave problema que circunda, principalmente, o ambiente escolar, pois essa atitudepode significar iniciativas para revisão e reavaliação dos PCNEM, do material fornecido peloPlano Nacional do Livro Didático (PNLD) e da própria estruturação curricular elaborada pelasescolas que desenvolvem trabalho com Ensino Médio e, conseqüentemente, capacidades paraos alunos agirem com a linguagem.

Texto completo:

PDF


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.

Revista Entretextos

Pós-Graduação em Estudos da Linguagem

Universidade Estadual de Londrina

Londrina - PR

ISSN: 1519-5392

 

Email:

entretextos.uel@gmail.com