A fórmula “Otimizar” em circulação na mídia

Andre William Alves Assis, Sonia Aparecida Lopes Benites

Resumo


Neste trabalho analisamos como fórmula o sintagma Otimizar, observando a passagem e adequação desse lexema por essas quatro características que compõem uma fórmula, a fim de comprovar seu estatuto formulaico. Não delimitamos um corpus específico nem nos atemos a um período comum em nossa análise, pois nosso interesse está em atestar o uso da fórmula em diferentes discursos, as recorrências, possibilitadas pela publicização midiática em geral que põe em circulação uma quantidade infinita de discursos e de gêneros no âmbito social. Otimizar que em princípio foi utilizada pela matemática e informática com sentido de “tornar ótimo”,  “tornar o melhor possível”, transcende esses campos e assume sentidos diferentes, como “gestionar”, “aproveitar” “maior”, “menor”, “mais rápido”, “mais espaçoso”, “mais eficiente”, “mais veloz”, “fácil”, “alternativo”, referentes emergentes no continuum enunciativo em que se inserem; o uso pragmático de que emergem evidencia diferentes referentes de acordo com o campo em que estão inseridas, o que atesta seu caráter polissêmico e polêmico. Otimizar atende às características de cristalização, inscrição discursiva, referente social e polemicidade e atestando que esse sintagma assumiu posição de fórmula discursiva nos diferentes gêneros explorados, representantes de diversos posicionamentos e campos discursivos emergentes em nossa sociedade.

Palavras-chave


Fórmula; Otimizar; Circulação; Discurso.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1519-5392.2012v12n1p



Revista Entretextos

Pós-Graduação em Estudos da Linguagem

Universidade Estadual de Londrina

Londrina - PR

ISSN: 1519-5392

 

Email:

entretextos@uel.br


 

 Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional