O pedir ajuda: Concepções dos estudantes do ensino fundamental

Tania Maria Serafim, Evely Boruchovitch

Resumo


Reconhecendo a carência de pesquisas nacionais acerca da estratégia de pedir ajuda, o presente estudo objetivou conhecer o uso e a concepção de pedir ajuda em 60 estudantes de ambos os sexos de 2ª a 4ª série do ensino fundamental. Os instrumentos de coleta de dados foram uma prancha contendo uma situação problema hipotética e   uma entrevista estruturada desenvolvidos para o presente estudo.  Os dados foram examinados qualitativamente por meio da análise de conteúdo. Resultados indicam que a estratégia de pedir ajuda é bastante relatada pelos participantes para a realização de atividades acadêmicas ou cotidianas. O pedido de ajuda é expresso verbalmente. Os familiares são as principais pessoas a quem os estudantes recorrem no momento de dificuldade. Os dados são discutidos em termos de reconhecer a importância da estratégia de pedir ajuda e da necessidade de novos estudos que aprofundem o conhecimento acerca dessa estratégia.

Palavras-chave


psicologia cognitiva; estratégia de pedir ajuda; estratégia de aprendizagem

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2236-6407.2010v1n2p159

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Estud. Interdiscip. Psicol.
E-mail: revistaeip@uel.br
E-ISSN: 2236-6407
DOI: 10.5433/2236-6407 

 


Esta obra está licenciada com uma licença Creative Commons Atribuição-Não comercial 4.0 Internacional.