Corpo e infertilidade masculina: diálogos a partir da fenomenologia existencial

Ellen Fernanda Gomes Silva, Carmem Lúcia Brito Tavares Barreto

Resumo


Este artigo é um recorte da dissertação de mestrado sobre a experiência de homens inférteis. O foco desta reflexão é apontar as repercussões existenciais dos procedimentos técnicos exercidos sobre o corpo dos homens diagnosticados como inférteis. Como instrumento de acesso à experiência foi utilizada a entrevista narrativa com uma pergunta disparadora, que foi gravada, transcrita e analisada segundo a Hermenêutica Filosófica de Gadamer. Os resultados apontaram para dificuldades vividas durante a submissão aos procedimentos de Reprodução Assistida, os quais levaram a experiências de desconforto, bem como de desesperança frente à burocracia e morosidade dos serviços. Em tal cenário, os interlocutores narraram sua vivência frente aos procedimentos técnicos, experiências que podem ser compreendidas com realce de duas dimensões: o reconhecimento da validade do protocolo adotado para a Reprodução Assistida e a hegemonia do discurso científico e suas repercussões na compreensão do corpo masculino enquanto matéria-prima a ser explorada.


Palavras-chave


Corpo; Fenomenologia Existencial; Infertilidade; Reprodução Assistida

Texto completo:

PDF

Referências


Almeida, D. D. M. (2002). Corpo e existência: Contra um duplo esquecimento dos corpos. In D. S. P. Castro, J. D. Piccino, R. S. Josgrilberg, & T. A. Goto (Eds.), Corpo e Existência (pp. 101-114). São Paulo, SP: Metodista.

Anderson, K. M., Sharpe, M., Rattray A., & Irvine, D. S. (2003). Distress and concerns in couples referred to a specialist infertility clinic. Journal of Psychosomatic Research, 54(4), 353-355.

Barbosa, R. M. (2000). Reflexões de gênero, infertilidade e novas tecnologias reprodutivas. Estudos Feministas, 8(1), 212-228.

Benjamin, W. (1994). O Narrador: considerações sobre a obra de Nikolai Leskov. In Magia e Técnica, arte e política: Ensaios sobre literatura e história da cultura. (S. P. Rovanit, trad., vol. 1, pp. 195-221). São Paulo, SP: Brasiliense.

Ministério da Saúde. (2010). Saúde sexual e saúde reprodutiva. In Cadernos de Atenção Básica, n. 26. Brasília, DF: Ministério da Saúde. Recuperado de:

Critelli, M. D. (2007). Analítica do sentido: Uma aproximação e interpretação do real de orientação fenomenológica. (2ª ed.). São Paulo, SP: EDUC/Brasiliense.

Dantas, J. B. (2011). Corpo e Existência: Outro Modo de Compreensão da Psicossomática. Interação Psicologia, 15(1), 71-80. doi: 10.5380/psi.v15i1.16262

Flick, U. (2009). Introdução à pesquisa Qualitativa (3ª ed.). São Paulo: Artmed.

Gadamer, H. G. (2012). Verdade e Método I: Traços fundamentais de uma hermenêutica filosófica. (12 ª ed.). Petrópolis, RJ: Vozes. (Trabalho original publicado em 1986).

Gadamer, H. G. (2011). O caráter oculto da saúde (2ª ed.). Petrópolis, RJ: Vozes.

Greil, A. L. (1997). Infertility and psychological distress: A critical review of literature. Social Sciencie Medical, 45(11), 1679- 1704.

Heidegger, M. (2012). A Questão da Técnica. In Ensaios e Conferências (E. C. Leão, trad., 8ª ed., pp. 11-38). Petrópolis, RJ: Vozes. (Trabalho original publicado em 1954).

Heidegger, M. (1959). Serenidade. Lisboa: Instituto Piaget.

Heidegger, M. (2009). Seminários de Zollikon (G. Arnhold & M. de F. de A. Prado, trad., 3ª ed.). Petrópolis, RJ: Vozes. (Trabalho original publicado em 1987).

Loparic, Z. (1996). Heidegger e a pergunta pela técnica. Cadernos de História e Filosofia da Ciência, 6(2), 1-24.

Michelazzo, J. C. (2004). Corpo e tempo. In D. S. P. Castro, J. D. Piccino, R. S. Josgrilberg, & T. A. Goto (Eds.), Corpo e Existência (pp. 105-122). São Paulo, SP: Metodista.

Nascimento, C. L. (2008). A Concepção do Dasein e a Psicossomática em Medard Boss. Anais do I Simpósio de Psicologia Fenomenológica-Existencial (pp. 79-84). A. M. L. C. Feijoo, (Ed.). Belo Horizonte, MG: Fundação Guimarães Rosa.

Ramírez-Gálvez, M. C. (2003). Novas tecnologias reprodutivas conceptivas: Fabricando a vida, fabricando o futuro. Tese de Doutorado, Departamento de Ciências Sociais, Universidade Estadual de Campinas/Unicamp, São Paulo.

Santos, E. F. dos. (2008). Corpo: o retrato da cultura: A preocupação com a estética na sociedade contemporânea. Anais do 8º Seminário Internacional Fazendo Gênero - Corpo, Violência e Poder (pp. 1-5). Florianópolis, SC: Editora UFSC. Recuperado de: http://www.fazendogenero.ufsc.br/8/sts/ST59/erica_Fernandes_dos_Santos_59.pdf

Schmidt, M. L. S. (1990). A experiência de psicólogas na comunicação de massa. (Tese de Doutorado). Universidade de São Paulo, São Paulo.

Schwandt, T. A. (2006). Três posturas epistemológicas para a investigação qualitativa. In N. K. Denzin, & Y. S. Lincoln, (Eds.), O planejamento da pesquisa qualitativa: Teorias e abordagens (2ª ed., pp. 193-217). Porto Alegre, RS: Artmed.

Torres, K. de A. (2012). A cegonha não é mais uma ficção: A paternidade no contexto das Novas Tecnologias Reprodutivas Conceptivas. (Dissertação de Mestrado). Universidade Federal de Pernambuco/UFPE, Recife.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2236-6407.2017v8n2p65

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Estud. Interdiscip. Psicol.
E-mail: revistaeip@uel.br
E-ISSN: 2236-6407
DOI: 10.5433/2236-6407 

 


Esta obra está licenciada com uma licença Creative Commons Atribuição-Não comercial 4.0 Internacional.