Avaliação da criatividade em graduandos do curso de Psicologia

Marta Luísa da Cruz Alves, Paulo Francisco de Castro

Resumo


A criatividade configura-se como importante capacidade humana em várias áreas de atuação, inclusive no trabalho do psicólogo. O presente artigo objetiva descrever a criatividade em um grupo de estudantes do Curso de Psicologia, no sentido de verificar se a formação na área pode criar condições para o desenvolvimento do potencial criativo. Participaram do estudo 75 acadêmicos, distribuídos igualmente em três grupos, com alunos do primeiro, quinto e décimo semestres, com idade entre 18 e 59 anos, que responderam ao Teste de Torrance - Avaliação da Criatividade por Palavras, de acordo com as especificações técnicas do referido instrumento. Após avaliação dos testes, os resultados dos três grupos foram estatisticamente comparados e os principais resultados indicaram maior índice criativo nos formandos do curso, principalmente no que tange à fluência - capacidade em cultivar um número abundante de ideias e Originalidade - habilidade para produzir ideias novas ou incomuns.

Palavras-chave


criatividade; avaliação psicológica; estudantes universitários

Texto completo:

PDF

Referências


Alencar, E.M.L.S. (1995). Criatividade. (2ª ed.). Brasília: Editora Universidade de Brasília.

Alencar, E.M.L.S. (2002). O contexto educacional e sua influência na criatividade. Linhas Críticas, 8(15), 165-178.

Alencar, E.M.L.S. & Fleith, D.S. (2003). Contribuições teóricas recentes ao estudo da criatividade. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 19(1), 1-8.

Alencar, E.M.L.S. & Fleith, D.S. (2004). Inventário de práticas docentes que favoreçam a criatividade no ensino superior. Psicologia: Reflexão e Crítica, 17(1), 105-110.

Alencar, E.M.L.S. & Fleith, D.S. (2010). Escala de práticas docentes para a criatividade na educação superior. Avaliação Psicológica, 9(1), 13-24.

Bahia, S. (2008). Criatividade e universidade entrecruzam-se? Sísifo: Revista de Ciência da Educação, 7, 51-62. Recuperado em 15 de maio de 2014 de https://bit.ly/2X60CbV.

Campos, K.C.L. & Largura, W.A.N. (2000). Criatividade na formação de psicólogos: Percepção de alunos. Psicologia Escolar e Educacional, 4(2), 11- 19.

Castanho, M.E.L.M. (2000). A criatividade na sala de aula universitária. In: I.P. Veiga & M.E.L.M. Castanho (Orgs.), Pedagogia universitária: A aula em foco. (pp. 75-89.). São Paulo: Papirus.

Justo, J.S. (2001). Criatividade no mundo contemporâneo. In: M.S. Vasconcelos (Org.), Criatividade: Psicologia, educação e conhecimento do novo. (pp. 59-78). São Paulo: Moderna.

Nakano, T.C. & Wechsler, S.M. (2006). O percurso da criatividade figural do ensino médio ao ensino superior. Boletim de Psicologia, 56(125), 205-219.

Nakano, T.C. & Wechsler, S.M. (2007). Criatividade: Características da produção científica brasileira. Avaliação Psicológica, 6(2), 261-270.

Oliveira, M.L. (2001). Contribuições da psicanálise para a compreensão da criatividade. In: M.S. Vasconcelos (Org.), Criatividade: Psicologia, educação e conhecimento do novo. (pp. 21-42). São Paulo: Moderna.

Ostrower, F. (2012). Criatividade e processos de criação. (27ª ed.). Petrópolis: Vozes.

Sakamoto, C.K. (2000). Criatividade: Uma visão integradora. Psicologia: Teoria e Prática, 2(1), 50-58.

Sakamoto, C.K. (2007). As mil e uma realidades da experiência criadora: Uma metáfora do gênio criativo. In: C.K. Sakamoto (Org.), Um olhar criativo sobre a prática em psicologia: Proposições teóricas e técnicas (pp. 17-27). São Paulo: Editora Mackenzie.

Silva, T.F. & Nakano, T.C. (2012). Criatividade no contexto educacional: análise de publicações periódicas e trabalhos de pós-graduação na área da psicologia. Educação e Pesquisa, 38(3), 743-759.

Sternberg, R.J. (2006). The nature of creativity. Creativity Research Journal, 18 (1), p. 87-98. Recuperado em 16 de Agosto de 2013 de versler, S.M. (2004a). Avaliação da criatividade por palavras - Teste de Torrance. Versão Brasileira. (2ª ed. rev. ampl.). Campinas: IDB.

Wechsler, S.M. (2004b). Avaliação da criatividade verbal no contexto brasileiro. Avaliação Psicológica, 3(1), 21-31.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2236-6407.2014v5n1p25

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Estud. Interdiscip. Psicol.
E-mail: revistaeip@uel.br
E-ISSN: 2236-6407
DOI: 10.5433/2236-6407 

 Esta obra está licenciada com uma licença Attribution 4.0 International (CC BY 4.0)