Estudo piloto de validação do teste de identificação de sinais de dislexia (TISD)

Mirza Novaes Alves, Ricardo Franco de Lima, Rauni Jandé Roama Alves, Cíntia Alves Salgado-Azoni, Tatiana de Cássia Nakano, Sylvia Maria Ciasca

Resumo


O trabalho objetivou obter primeiras evidências de validade do Teste de Identificação de Sinais de Dislexia (TISD). Foram investigados dois grupos de crianças, um sem dificuldades de aprendizagem (n=9) e outro com dificuldades de aprendizagem (n=11), sendo o segundo selecionado em razão de possuir risco para transtornos de aprendizagem. Foram utilizados para coleta de dados o Teste de Desempenho Escolar (TDE) e TISD. Os resultados evidenciaram diferenças entre os grupos nos escores dos subtestes de Leitura, Escrita, Cálculo, Consciência Fonológica, Memória de trabalho e no Total, com melhor desempenho do grupo sem dificuldades de aprendizagem. Correlações significativas e negativas entre os subtestes do TDE e do TISD foram encontradas. Verificou-se que o TISD mostrou-se capaz de diferenciar os grupos, assim como obteve correlações com outro instrumento que avaliava construtos semelhantes, sendo o objetivo desse estudo alcançado.

Palavras-chave


neuropsicologia; avaliação psicológica; dislexia; dificuldades de aprendizagem

Texto completo:

PDF

Referências


Alves, R. J. R., & Nakano, T. C. (no prelo). Criatividade em indivíduos com transtornos e dificuldades de aprendizagem: Revisão de pesquisas. Psicologia Escolar e Educacional.

Alves, R. J. R. (2011). Teste de identificação de sinais de Dislexia (TISD). Monografia de Conclusão de Curso de Especialização, Universidade Estadual de Campinas, São Paulo

Alves, R. J. R., Lima, R. F., Salgado-Azoni, C. A., Carvalho, M. C., & Ciasca, S. M. (no prelo). Teste de Identificação de Sinais de Dislexia (TISD): Processos de construção. Estudos de Psicologia (PUC-Campinas).

American Psychiatric Association (APA) (2002). Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais (DSM-IV-TR). Porto Alegre: Artes Médicas.

American Psychological Association (APA) (1999). Standards for educational and psychological testing. Washington, DC.

Anastasi, A., & Urbina S. (2000). Testagem psicológica. Porto Alegre: Artes Médicas. Bergmann, J., & Wimmer, H. (2008). A dual-route perspective on poor reading in a regular orthography: Evidence from phonological and orthographic lexical decisions. Cognitive Neuropsychology, 25(5), 653-676.

Caldonazzo, A., Salgado, C. A., Capellini, A. S., & Ciasca, S. M. (2006). Desempenho na resolução de problemas envolvendo o conceito aditivo em sujeitos com Dislexia do Desenvolvimento. Revista Psicopedagogia, 23(71), 116-123.

Capellini, S. A., Coppede, A. C., & Valle, T. R. (2010). Função motora fina de escolares com dislexia, distúrbio e dificuldades de aprendizagem. Pró-fono Revista de Atualização Científica, 22(3), 201-208.

Capellini, S. A., Sampaio, M. N., Matsuzawa, M. T., Oliveira, A. M., Fadini, C. C., & Martins, M. A. (2009). Protocolo de identificação precoce dos problemas de leitura: estudo preliminar com escolares de 1º ano escolar. Psicopedagogia, 26(81), 367-375.

Capovilla, A. G. S., Smythe, I., Capovilla, F. C., & Everatt, J. (2001). Adaptação brasileira do International Dyslexia Test: Perfil cognitivo de crianças com escrita pobre. Temas sobre Desenvolvimento, 10(57), 30-37.

Carvalhais, L. S. A. (2010). Construção de instrumentos de avaliação da dislexia. Tese de Doutorado, Universidade de Aveiro: Aveiro.

Carvalho, F. B., Crenitte, P. A. P., & Ciasca, S. M. (2007). Distúrbios de aprendizagem na visão do professor. Psicopedagogia, 24(75), 229-239.

Conboy, J. E. (2003). Algumas medidas típicas univariadas de magnitude do efeito. Análise Psicológica, 21(2), 145-158.

Coppede, A. C., Okuda, P. M. M., & Capellini, S. A. (2012). Desempenho de escolares com dificuldades de aprendizagem em função motora fina e escrita. Revista Brasileira de Crescimento e Desenvolvimento Humano, 22(3), 297-306.

Cox, E. A. (2002). An evaluation of the psychometric properties of the test of dyslexia e dysgraphia. Tese de Doutorado. University of Tennessee: EUA.

Dancey, C., & Reidy, J. (2006). Estatística sem matemática para Psicologia: Usando SPSS para Windows. Porto Alegre: Artmed.

Deuschle, V. P., & Cechella, C. (2009). O déficit em consciência fonológica e sua relação com a dislexia: Diagnóstico e intervenção. Revista CEFAC, 11(Supl 2), 194-200.

Eden, G. F., & Zeffiro, T. A. (1998). Neural systems affected in developmental dyslexia revealed by functional neuroimaging. Neuron, 21(2), 279-282.

Facoetti, A., Trussardi, A. N., Ruffino, M., Lorusso, M.L., Cattaneo, C., Galli, R., Molteni, M., & Zorzi, M. (2010). Multisensory spatial attention deficits are predictive of phonological decoding skills in developmental dyslexia. Journal of Cognitive Neuroscience, 22(5), 1011-1025.

Fletcher, J. M., Lyons, G. R., Fuchs, L. S., & Barnes, M. A. (2009). Transtornos de aprendizagem: Da identificação à intervenção. Porto Alegre: Artmed.

Fuchs, L. S., & Fuchs, D. (1998). Treatment validity: A simplifying concept for reconceptualizing the identification of learning disabilities. Learning Disabilities Research and Practice, 4, 204-219.

Germano, G. D., & Capellini, S. A. (2011). Desempenho de escolares com dislexia, transtornos e dificuldades de aprendizagem em provas de habilidades metafonológicas (PROHFON). Jornal da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia, 23(2), 135-141.

Germano, G. D., Pinheiro, F. H., & Capellini, S. A. (2009). Desempenho de escolares com Dislexia do Desenvolvimento em tarefas fonológicas e silábicas. Revista CEFAC, 11(2), 213-220.

Grigorenko, E.L. (2005). A conservative meta-analysis of linkage-association studies of developmental dyslexia. Scientific Studies of Reading, 9(3), 285- 316.

Hawelka, S., Gagl, B., & Wimmer, H. (2010). A dual-route perspective on eye movements of dyslexic readers. Cognition, 115(3), 367-279.

Heim, S., Grande, M., Pape?Neumann, J., van Ermingen, M., Meffert, E., Grabowska, A., Huber, W., & Amunts, K. (2010). Interaction of phonological awareness and ‘magnocellular’ processing during normal and dyslexic reading: behavioural and fMRI investigations. Dyslexia, 16(3), 258-282.

Lima, R. F. (2011). Sintomas depressivos e funções cognitivas em crianças com dislexia do desenvolvimento. Dissertação de Mestrado, Faculdade de Ciências Médicas, Universidade Estadual de Campinas, São Paulo.

Lima, R. F., Salgado, C. A., & Ciasca, S. M. (2011). Attentional performance and executive functions in children with learning difficulties. Psicologia: Reflexão e Crítica, 24(4), 685-691.

Lima, R. F., Salgado-Azoni, C. A. S, & Ciasca, S. M. (2013). Attentional and executive deficits in Brazilian children with developmental dyslexia. Psychology, 4(10A):1-6.

Lobier, M., Zoubrinetzky, R., & Valdois, S. (2012). The visual attention span deficit in dyslexia is visual and not verbal. Cortex, 48(6), 768-773.

Lukasova, K., Barbosa, A. C. C., & Macedo, E. C. D. (2009). Discriminação fonológica e memória em crianças com dislexia e bons leitores. PsicoUSF, 14(1), 1-9.

Menghini, D., Finzi, A., Carlesimo, G. A., & Vicari, S. (2011). Working memory impairment in children with developmental dyslexia: is it just a phonological deficity? Developmental Neuropsychology, 36(2), 199-213.

Murphy, C. F. B., & Schochat, E. (2009). Correlações entre leitura, consciência fonológica e processamento temporal auditivo. Pró-Fono, 21(1), 13-18.

Nicolson, R. I., & Fawcett, A. J. (2003). Sample report of Dyslexia Early Screening Test – Second edition (DEST-2). Universidade de Sheffield: Inglaterra.

Nicolson, R. I., & Fawcett, A. J. (2011). Dyslexia, dysgraphia, procedural learning and the cerebellum. Cortex, 47(1), 117-127. N

unes, C. H. S. S., & Primi, R. (2010). Aspectos técnicos e conceituais da ficha de avaliação dos testes psicológicos. Avaliação psicológica: Diretrizes na regulamentação da profissão (pp. 101-128). Brasília: Conselho Federal de Psicologia.

Organização Mundial de Saúde (OMS). (2008). CID-10: Classificação de transtornos mentais e de comportamento: Descrições clínicas e diretrizes diagnósticas. Porto Alegre: Artes Médicas.

Plomin, R., & Kovas, Y. (2005). Generalist genes and learning disabilities. Psychological Bulletin, 131(4), 592-617.

Rapcsak, S. Z., Beeson, P. M., Henry, M. L., Leyden, A., Kim, E., Rising, K., Andersen, S., & Cho, H. (2009). Phonological dyslexia and dysgraphia: cognitive mechanisms and neural substrates. Cortex, 45(5), 575-591.

Salgado, C.A. (2010). Programa de remediação fonológica de leitura e escrita em crianças com Dislexia do Desenvolvimento. Tese de Doutorado. Universidade Estadual de Campinas, São Paulo.

Santos, A. A. A., & Jorge, L. M. (2007). Teste de Bender com disléxicos: Comparação de dois sistemas de pontuação. Psico-USF, 12(1), 13-21.

Shaywitz, S. E., & Shaywitz, B. A. (2005). Dyslexia (specific reading disability). Biological Psychiatry, 57(11), 1301-1309.

Shaywitz, S. E., & Shaywitz, B. A. (2008). Paying attention to reading: The neurobiology of reading and dyslexia. Development and psychopathology, 20(04), 1329-1349.

Siegel, L .S. (2003). Basic cognitive processes and reading disabilities. In Swanson, H.L., Harris, K.R. & Graham, S. Handbook of learning disabilities (pp. 158-181). New York: Guilford Press.

, C., Cunha, V. L. O., Pinheiro, F. H., & Capellini, S. A. (2012). Nomeação rápida, leitura e compreensão em escolares com dificuldades de aprendizagem. Jornal da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia, 24(4), 355-360.

Simmons, F. R., & Singleton, C. (2008). Do weak phonological representations impact on arithmetic development? A review of research into arithmetic and dyslexia. Dyslexia, 14(2), 77-94.

Stein, L. M. (1994). Teste de desempenho escolar. São Paulo: Casa do Psicólogo. Swanson, H. L., Harris, K., & Graham, S. (Eds.) (2003). Handbook of learning disabilities. New York: Guilford Press.

Wimmer, H., Schurz, M., Sturm, D., Richlan, F., Klackl, J., Kronbichler, M., & Ladurner, G. (2010). A dual-route perspective on poor reading in a regular orthography: An fMRI study. Cortex, 46(10), 1284-1298.

Wong, B., & Butler, D. (2012). Learning about learning disabilities. California: Elsevier.

Ziegler, J. C., Castel, C., Pech-Georgel, C., George, F., Alario, F., & Perry, C. (2008). Developmental dyslexia and the dual route model of reading: Simulating individual differences and subtypes. Cognition, 107(1), 151-178.

Ziegler, J. C., Pech?Georgel, C., Dufau, S., & Grainger, J. (2010). Rapid processing of letters, digits and symbols: what purely visual?attentional deficit in developmental dyslexia?. Developmental science, 13(4), F8-F14.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2236-6407.2013v4n2p217

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Estud. Interdiscip. Psicol.
E-mail: revistaeip@uel.br
E-ISSN: 2236-6407
DOI: 10.5433/2236-6407 

 


Esta obra está licenciada com uma licença Creative Commons Atribuição-Não comercial 4.0 Internacional.