O consumo de álcool em universitários: Fidedignidade e sensibilidade de uma escala de medida

Nilton Formiga

Resumo


O consumo de álcool entre os jovens tem sido não somente um determinante para as relações interpessoais, mas, também, é atualmente, um problema que traz um prejuízo social, econômico e de saúde. Devido a essa condição, têm surgido instrumentos e reavaliados outras medidas mais confiáveis para identificar o problema com o consumo de álcool nesse grupo; dos inúmeros instrumentos, o AUDIT tem sido o mais utilizado em estudos no mundo, o qual tem se revelado consistente. O presente estudo tem como objetivo, avaliar a fidedignidade e consistência interna do AUDIT a partir de distintos cálculos estatísticos em uma amostra de universitários. Duas amostras de universitários, homens e mulheres, de 18 a 40 anos, na cidade de João Pessoa-PB responderam o AUDIT e dados sócio-demográficos. A partir de diferentes cálculos estatísticos, observaram-se indicadores psicométricos que revelaram confiabilidade e fidedignidade do AUDIT nas referidas amostras, garantindo assim, a medida sobre a identificação do problema do consumo de álcool nos respondentes.

Palavras-chave


problemas com álcool; fidedignidade; universitários

Texto completo:

PDF

Referências


Agante, D. M. C. (2009). Comportamentos relacionados com o consumo de bebidas alcoólicas durante as festas académicas nos estudantes do ensino superior. (Dissertação de Mestrado não publicada) - Faculdade de Medicina, Universidade de Coimbra, Portugal.

American Psychiatric Association. (1994). Diagnostic and statistical manual of mental disorders. 4th Ed. Washington DC: American Psychiatric Association.

Andrade, A. G., Anthony, J. C. &, Silveira, C. M. (2009). Álcool e suas consequências: uma abordagem multiconceitual. Barueri, SP: Minha Editora.

Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Psicologia. (2000). Contribuições para a discussão das Resoluções CNS nº. 196/96 e CFP Nº 016/2000. Disponível em: http://www.anpepp.org.br/XIISimposio/Rel_ComissaoEticasobre_Res_CNS_ e_CFP.pdf.

Babor, T. F. et al. (1992). O alcohol use disorders identification test: orientações para o uso em saúde. Genebra: OMS.

Babor, T. F., Higgins-Biddle, J. C., Saunders, J. B., & Monteiro, M. G. (2001). Audit: the alcohol use desorders identification test. Guidelines for Use in Primary Care. WHO/PSA.

Babor, T. F., & Higgins-Biddle, J. C. (2001). Brief Intervention. For Hazardous and Harmful Drinking. A Manual for Use in Primary Care. WHO/PSA.

Bergman, H., & Källmén, H. (2002). Alcohol use among Swedes and a psychometric evaluation of the Alcohol Use Disorder Identification Test. Alcohol, 37, 245-251.

Breda, J. J. R. S. (2010). Problemas ligados ao álcool em Portugal: Contributos para uma estratégia compreensiva. (Tese de Doutorado não publicada) - Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação, Universidade do Porto, Portugal.

Bye, E. K. & Rossow, I. (2010). The impact of drinking pattern on alcohol – related violence among adolescents: An international comparative analysis. Drug and Alcohol Review, 29(2), 131-136.

Byrne, B. M. (1989). A primer of LISREL: Basic applications and programming for confirmatory factor analytic models. New York: Springer-Verlag.

Carlini, E. A., Carlini-Contrim, B., & Silva-Filho, A. R. (2007). II levantamento nacional sobre o uso de psicotrópicas em estudantes de 1º e 2º graus. São Paulo: Centro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas, Departamento de Psicobiologia da Universidade Federal de São Paulo.

Carlini-Cotrim, B., Gazal-Carvalho, C., & Gouveia, N. (2000). Comportamento de saúde entre jovens estudantes das redes pública e privada da área metropolitana do estado de São Paulo. Revista de Saúde Pública, 34(6), 636-345

Carvalho, F. N. (2010). Hábitos alcoólicos dos estudantes do mestrado integrado em Medicina da Universidade da Beira Interior (Dissertação de Mestrado não publicada). Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde, Universidade da Beira Interior, Portugal.

Chalub, M., & Telles, L. E. B. (2006). Álcool, drogas e crime. Revista Brasileira de Psiquiatria, 28, 69-73.

Conselho Nacional De Saúde. (2012). Diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Disponível em: http://conselho.saude.gov.br/resolucoes/reso_96.htm.

Dallo, L., & Martins, R. A. (2011). Uso de álcool entre adolescentes escolares: Um estudo-piloto. Paidéia (Ribeirão Preto), 21(50), 329-334.

Fachini, A. (2009). Influência de expectativas e do grupo de pares sobre o comportamento do uso de álcool entre estudantes da área da saúde: uma perspectiva das diferenças de gênero. (Dissertação de Mestrado não publicada). Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo.

Figlie, N. B., Pillon, S. C., Laranjeira, R. R., & Dunn, J. (1997). Audit indentifica a necessidade de interconsulta específica para dependentes de álcool no hospital geral? Jornal Brasileiro de Psiquiatria, 46(11), 589-593.

Formiga, N. S. (2011). Um nexo causal entre variáveis da violência em jovens. Caderno de Pesquisa Interdisciplinar em Ciências Humanas, 12(100), 86- 104.

Formiga, N. S., Galdino, R. M. G. M., Ribeiro, K. G. O. &, Souza, R. C. (2013). Identificação de problemas relacionados ao uso de álcool (AUDIT): A fidedignidade de uma medida sobre o consumo exagerado de álcool em universitários. Psicologia.com.pt, 1, 1-13, Disponível em: http://www.psicologia.pt/

Formiga, N. S., Picanço, E. L., Souza, R. C. M., & Santos, J. D. B. (2013). Identificação do problema com o consumo álcoolico em pessoas vulneráveis e não vulneráveis e sua relação com autoestima. Psicologia.com.pt, 1, 1-18. Disponível em: http://www.psicologia.pt/

Garcia, N. A. A., Aguilar, L. R., & Facundo, F. R. G. (2008). Efecto de la autoestima sobre el consumo de tabaco y alcohol en adolescentes del área rural de Nuevo León, México. SMAD, Revista Electrónica en Salud Mental, Alcohol y Drogas, 4(1), 1-17.

Hair, J. F., Tatham, R. L., Anderson, R. E., & Black, W. (2005). Análise multivariada de dados. Porto Alegre: Bookman.

Joreskög, K., & Sörbom, D. (1989). LISREL 7 user's reference guide. Mooresville: Scientific Software.

Kelloway, E. K. (1998). Using LISREL for structural equation modeling: A researcher’s guide. Thousand Oaks, CA: Sage Publications.

Kerr-Corrêa, F., Dalben, I., Trinca, L. A., Simão, M. O., Mattos, P. F., RamosCerqueira, A. T. A., & Mendes, A. A. (Eds.). (2001). I Levantamento do uso de álcool e de drogas e das condições gerais de vida dos estudantes da UNESP (1998), (Vol. 14). Pesquisa V. Unesp. São Paulo, SP: Fundação para o Vestibular da Universidade Estadual Paulista.

Kerr-Corrêa, F., Simão, M. O., Dalben, I., Martins, R. A., Trinca, L. A., Penteado, M. A. C., Sanches, A. F., Oliveira, S. M., Beig, M. L., & Ortigosa, S. (2002, Julho). High risk alcohol use in Brazilian college students (UNESP): Preliminary data from a preventive study. Full Papers presented of the XXVIII Annual Alcohol Epidemiology Symposium, Paris.

Laranjeira, R., Pinsky, I., Zaleski, M., & Caetano, R. (2007). I Levantamento Nacional sobre os Padrões de Consumo de Álcool na População Brasileira. Brasília, DF: Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas.

Llorens A., Palmer, P., & Perellón del Río, M. (2005). Características de personalidad en adolescentes como predictores de la conducta de consum o de sustancias psicoactivas. Transtornos Adictivos, 7(2), 90-96.

Lucas, A. C. S. et al. (2006). Uso de psicotrópicos entre universitários da área da saúde da Universidade Federal do Amazonas, Brasil. Caderno de Saúde Pública, 22(3), 663-667.

Margotto, P. R. (2010). Curva ROC como fazer e interpretar no SPSS. Disponível em: http://www.paulomargotto.com.br/documentos/Curva_ROC_SPSS.pdf

Martins, J. R. S. V. (2009). O consumo de bebidas alcoólicas nos adolescentes. (Monografia de licenciatura em ciências da enfermagem). Porto, Portugal. Universidade Fernando Pessoa.

Moretti-Pires, R. O., & Corradi-Webster, C. M. (2011). Adaptação e Validação do Álcohol use Disorder Identification Test (AUDIT) para a população ribeirinha do interior da Amazônia, Brasil. Cadernos de Saúde Pública, 27(3), 497- 509.

Muenjohn, N. &, Armstrong, A. (2007). Transformational leadership: The influence of culture on the leadership nehaviours of expatriate managers. International Journal of Business and Information, 2(2), 265-283.

Musitu, G., Jiménez, T. I., & Murgui, S. (2007). Funcionamiento familiar, autoestima y consumo de sustancias en adolescentes: Un modelo de mediación. Salud Pública México, 49(1), 3-10.

Navarro, H., & Pontillo, C. H. (2002). Autoestima del adolescente y riesgo de consumo de alcohol. Actualización en Enfermería, 5(1), 7-12.

Oliveira, J. C., & Andrade, F. W. M. (2002). Comparação entre medidas de performance de modelos de credit scoring. Tecnologia de Crédito, 33, 35- 47.

Pastor, Y., Balaguer, I., & García-Merita, M. L. (2000). Estilo de vida saludable en la adolescencia media: análisis diferencial por curso y sexo. Revista de Psicología de la Salud, 12(2), 55-74.

Peuker, A. C., Fogaça, J., & Bizarro, L. (2006). Expectativas e beber problemático entre universitários. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 22(2), 193- 200.

Pillon, S. C., & Corradi-Webster, C. M. (2006). Teste de identificação de problemas relacionados ao uso de álcool entre estudantes universitários. Revista de Enfermagem, 14, 325-332.

Romera, L. A. (2008). Juventude, lazer e uso abusivo de álcool. Disponível em: http:// www. Bibliotecadigital.unicamp.br/document/code=vtls000445959.

Saunders, J. B., Aasland, O. G., Babor, T. F., de la Fuente, J. R., & Grant, M. (1993). Development of the Alcohol Use Disorders Screening Test (AUDIT). WHO collaborative project on early detection of persons with harmful alcohol consumption. II. Addiction, 88, 791-804.

Silva, L. V. E. R., Malbergier, A., Stempliuk, V. A., & Andrade, A. G. (2006). Fatores associados ao consumo de álcool e drogas entre estudantes universitários. Revista de Saúde Pública, 40(2), 280-288.

Triandis, H. C. (1996). The psychological measurement of cultural syndromes. American Psychologist, 51, 407-415.

Triandis, H. C., McCusker, C., Betancourt, H., Iwao, S., Leung, K., Salazar, J. M., Setiadi, B., Sinha, B. P., Touzard, H., & Zaleski, Z. (1993). An etic-emic analysis of individualism and collectivism. Journal of Cross-cultural Psychology, 24(3), 366-383.

Van de Vijver, F., &, Leung, K., (1997). Methods and data analysis for crosscultural research. Thousand Oaks, CA: Sage Publications.

World Health Organization (2004). Global status report on alcohol 2004. Geneva: World Health Organization.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2236-6407.2013v4n2p130

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Estud. Interdiscip. Psicol.
E-mail: revistaeip@uel.br
E-ISSN: 2236-6407
DOI: 10.5433/2236-6407 

 Esta obra está licenciada com uma licença Attribution 4.0 International (CC BY 4.0)