O conceito de memória na obra freudiana: Breves explanações

Pamela Pitagoras Freitas Lima Ferrarini, Lívia Diana Rocha Magalhães

Resumo


O presente artigo tem como objetivo descrever o conceito de memória na obra de Sigmund Freud, precursor da Psicanálise. O tema da memória e suas diferentes manifestações no psiquismo faziam parte das inquietações teóricas de Freud, levando a indagar a respeito do funcionamento desta em seus diversos escritos. Através da análise da obra freudiana e de demais teóricos que debateram a respeito do tema, este estudo teórico visa demonstrar que a memória, na Psicanálise, sempre esteve presente na formulação freudiana da subjetividade humana. A constante evolução da sua teoria permitiu que a memória ganhasse um status cada vez maior, passando de uma análise puramente individual e funcional, para uma dimensão social e cultural, transformando-se num dos alicerces de sua teoria.

Palavras-chave


memória; psicanálise; Sigmund Freud

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2236-6407.2014v5n1p109

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Estud. Interdiscip. Psicol.
E-mail: revistaeip@uel.br
E-ISSN: 2236-6407
DOI: 10.5433/2236-6407 

 


Esta obra está licenciada com uma licença Creative Commons Atribuição-Não comercial 4.0 Internacional.