Brincar como meio de comunicação na psicoterapia de crianças com mutismo seletivo

Lia Keuchguerian Silveira Campos, Sérgio Luiz Saboya Arruda

Resumo


A partir de conceitos da teoria psicanalítica, é feita uma discussão teórico-clínica em que o brincar serve como meio de expressão e de comunicação na psicoterapia psicanalítica de uma menina de nove anos e de um menino de sete anos de idade, ambos com mutismo seletivo, atendidos duas vezes por semana em um hospital público. Trata-se de um estudo qualitativo, que utiliza o método psicanalítico. As discussões teóricas são ilustradas pela história de vida e por vinhetas das sessões nas quais o brincar permitiu o acesso e o trabalho do mundo interno das crianças, possibilitando que começassem a verbalizar e a produzir representações simbólicas.


Palavras-chave


psicologia da criança; ludoterapia; psicanálise; mutismo seletivo

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2236-6407.2014v5n2p15

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Estud. Interdiscip. Psicol.
E-mail: revistaeip@uel.br
E-ISSN: 2236-6407
DOI: 10.5433/2236-6407 

 


Esta obra está licenciada com uma licença Creative Commons Atribuição-Não comercial 4.0 Internacional.