Delinquência auto-revelada em serviço de medidas socioeducativas em meio aberto no Brasil

Lylla Cysne Frota D'Abreu

Resumo


A pesquisa internacional aponta que a delinquência auto-revelada é uma estratégia bem-sucedida de aprimorar a coleta de dados na identificação das chamadas “cifras negras”, ou seja, delitos que não são reportados ao sistema de justiça. Esta técnica, no entanto, é ainda pouco utilizada no Brasil. Mediante pesquisa documental a partir de dados de arquivo, este estudo caracterizou uma amostra de 211 adolescentes que cumpriam medida socioeducativa em meio aberto quanto à delinquência não-oficial e variáveis sócio-demográficas. Os resultados mostraram que adolescentes em conflito com a lei têm engajamento delinquente com polimorfismo e intensidade expressivamente maior do que os órgãos oficiais são capazes de identificar. A delinquência auto-revelada aperfeiçoa a coleta de dados, fornece taxas mais próximas da realidade quanto ao engajamento na delinquência e guia estratégias mais assertivas de intervenção nos serviços.


Palavras-chave


delinquência juvenil; auto-relato; medidas socioeducativas

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2236-6407.2011v2n2p154

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Estud. Interdiscip. Psicol.
E-mail: revistaeip@uel.br
E-ISSN: 2236-6407
DOI: 10.5433/2236-6407 

 


Esta obra está licenciada com uma licença Creative Commons Atribuição-Não comercial 4.0 Internacional.