Autoeficácia de alunos do ensino médio e nível de escolaridade dos pais

Daniela Couto Guerreiro-Casanova, Marilda Aparecida Dantas, Roberta Gurgel Azzi

Resumo


O objetivo deste estudo foi analisar diferenças entre as percepções de autoeficácia acadêmica e uso de estratégias de estudo e aprendizagem em aulas de língua portuguesa de estudantes do ensino médio de escolas públicas tendo como critério o nível de estudo dos pais. Participaram 534 estudantes do ensino médio de escolas públicas do estado de São Paulo. Foram utilizados três instrumentos de autorrelato: questionário de caracterização, Escala de Autoeficácia Acadêmica e o Inventário de Estratégias de Estudo e Aprendizagem. Os resultados encontrados por meio do teste de Kruskall-Wallis indicaram diferenças significativas para as crenças de autoeficácia acadêmica dos estudantes de acordo com os diferentes níveis de estudo das mães e dos pais. Os resultados do uso de estratégias de estudo e aprendizagem dos estudantes não apresentaram diferenças significativas quando considerados os níveis de estudos das mães e dos pais. Sugerem-se pesquisas sobre envolvimento parental nas atividades escolares de seus filhos.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2236-6407.2011v2n1p36

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Estud. Interdiscip. Psicol.
E-mail: revistaeip@uel.br
E-ISSN: 2236-6407
DOI: 10.5433/2236-6407 

 


Esta obra está licenciada com uma licença Creative Commons Atribuição-Não comercial 4.0 Internacional.