A compreensão do tempo histórico: um estudo com alunos portugueses do 6º ano sobre os conceitos de cronologia e mudança

Anabela Costa, Glória Solé

Resumo


Este artigo apresenta-se como um contributo para o entendimento do modo como as crianças compreendem o tempo histórico e resulta de um estudo empírico, predominantemente qualitativo e interpretativo, desenvolvido com alunos do 6º ano do ensino básico, em Portugal. Nesta investigação procurou-se averiguar as ideias e noções de temporalidade dos alunos a partir da ordenação de acontecimentos e da construção de uma narrativa, ambos subordinados ao conteúdo programático O 25 de abril de 1974. Procedeu-se a uma análise de dados quantitativa e qualitativa, na qual as respostas dos alunos foram categorizadas em função de níveis de pensamento diferenciados. Os resultados demonstram que os alunos deste nível de ensino compreendem e utilizam conceitos de tempo complexos na aprendizagem da História, nomeadamente relacionados com a cronologia e a mudança.

Palavras-chave


Tempo histórico; Pensamento histórico; Compreensão temporal; Mudança; Cronologia.

Texto completo:

PDF

Referências


BARCA, I. History and temporal orientation: the views of Portuguese-speaking students. In: CHAPMAN, A.; WILSCHUT, A (ed.). Joined-up history: new directions in history education research. Charlotte, NC: Information Age Publishing, 2015. p. 13-35.

BARTON, K. C. Oh, that’s a Tricky Piece!: Children Mediated Action, and the Tools of Historical Time. The Elementary School Journal, Chicago, v. 37, n. 1, p. 89-106, 2002.

BARTON, K. Helping students make sense of historical time. Primary history, Londres, v. 37, p. 13-14, 2004.

BARTON, K. Back when God was around and everything: elementary children´s understanding of historical time. In: LEVSTIK, L.; BARTON, K. Researching history education. New York: Routledge, 2008. p. 71-107.

BRAUDEL, F. História e ciências sociais. Lisboa: Editorial Presença, 1990.

CARRETERO, M.; IGNÁCIO, J.; ASENSIO, M. La enseñanza de las ciencias sociales. Madrid: Visor, 1989.

COOPER, H. Didáctica de la historia en la educación infantil y primaria. Madrid: Ediciones Morata, 2002.

DOWNEY, M.; LEVSTIK, L. Teaching and learning history. In: SHAVER, J. P. (ed.) Handbook of research on social studies teaching and learning. New York: Macmillan, 1991. p. 400-410.

DOMÍNGUEZ, J. Pensamiento histórico y evaluación de competencias. Barcelona: Editorial GRAÓ, 2015.

WALDY FILHO; PELLANDA, N. Estudar e viver a história: um olhar complexo sobre o estudo do passado. Educação em Análise, Londrina, v. 2, n. 1, p. 147-164, Jan./jun. 2017. Disponível em: http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/educanalise/article/view/30620. Acesso em: 20 dez. 2019.

GROOT-REUVEKAMP, M.; VAN BOXTEL, C.; ROS, A.; HARNETT, P. The understanding of historical time in the primary history curriculum in England and the Netherlands, Journal of Curriculum Studies, Basingstoke, v. 46, n. 4, p. 487-514, 2014. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1080/00220272.2013.869837. Acesso em: 15 jul. 2019.

HODKINSON, A. Historical time and the national curriculum. Teaching History, Londres, n. 79, p. 18-20, abr. 1995.

HODKINSON, A. Children's developing conceptions of historical time: analysing approaches to teaching, learning and research. 2003. Tese (Doutorado) - University of Lancaster, Lancaster, 2003. Não publicada.

JAHODA, G. Children's concepts of time and history. Educational Review, Edinburgh, v. 15, n. 287, p. 87-104, 1963.

LEE, P. Historical knowledge and the national curriculum. In: BOURDILLON, H. (ed.). Teaching history. London: Routledge, 1994. p. 41-47.

MATTOZZI, I. Obiettivo: formare il senso del tempo: per un curricolo verticale di educazione alle temporalità. Scuola Viva, [S. l.], n. 10/11, nov. 1990. Disponível em http://www.irre.toscana.it/multiverso/risorse/tavola/ivo_mattozzi_2.htm. Acesso em: 15 jul. 2019.

MIGUEL-REVILLA, D.; SANCHEZ-AGUSTI, M. Conciencia historica y memoria colectiva: marcos de analisis para la educacion historica. Revista de Estudios Sociales, Andes, n. 65, p. 113-125, 2018. Disponível em: https://doi.org/10.7440/res65.2018.10. Acesso em: 15 jul. 2019.

OAKDEN, E. C.; STURT, M. The development of the knowledge of time in children. British Journal of Psychology, London, v. 12, n. 4, p. 309-355, 1922.

PAGÈS, J.; SANTISTEBAN, A. La enseñanza del tiempo histórico: una propuesta para superar viejos problemas. In: GARCÍA, T. S. M. (coord.). Un currículum de ciencias sociales para el siglo XXI: qué contenidos e para qué. Sevilla: Díada Editora, 1999. p. 187-208.

PAGÈS, J. Conciencia y tiempo histórico. Perspectiva escolar, Barcelona, n. 332, p. 2-8, 2009. Disponível em: https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=2899408. Acesso em: 20 dez. 2019.

PAGÈS, J.; SANTISTEBAN, A. La enseñanza y el aprendizaje del tiempo histórico en la educación primaria. Cad. Cedes, Campinas, v. 30, n. 82, p. 281-309, set./dez. 2010. Disponível em: https://www.cedes.unicamp.br/. Acesso em: 20 dez. 2019.

PATRIARCA, L.; ALLEMAN, J. Studying time: a cognitive approach. Social Education, Maryland, v. 51, n. 4, p. 273-277, abr./maio 1987.

PIAGET, J. A noção de tempo na criança. Rio de Janeiro: Editora Record, 1946.

PROENÇA, M. C. Ensinar/aprender história: questões de didáctic aplicada. Lisboa: Livros Horizonte, 1990.

RÜSEN, J. Making sense of time: toward a universal typology of conceptual foundations of historical consciousness. In: RÜSEN, J. (ed.). Time and history: the variety of cultures. New York: Berghahn Books, 2007. p. 7-18.

RÜSEN, J. A função didática da história: a relação entre a didática da História e a (meta) História. In: SCHMIDT, M. A.; MARTINS, E. R. (ed). Jörn Rüsen: contribuições para uma teoria da didática da história. Curitiba: W. A. Editores, 2016a. p. 14-42.

RÜSEN, J. O que é a cultura?: reflexões sobre uma nova maneira de abordar a história. In: SCHMIDT, M. A.; MARTINS, E. R (ed.). Jörn Rüsen: contribuições para uma teoria da didática da história. Curitiba: W.A. Editores, 2016b. p. 54-81.

SACRISTÁN, M. A. Recursos y técnicas para la comprensión del tiempo en educación primaria. 2012. Dissertação (Mestrado) - Universidade de Valladolid, Espanha, 2012.

STOW, W.; HAYDN, T. Issues in the teaching of chronology. In: ARTHUR, J.; PHILIPHS, R. (ed.). Issues in history teaching. London: Routledge Falmer, 2004. p.83-97.

SOLÉ, G. A história no 1.º ciclo do ensino básico: a concepção do tempo e a compreensão histórica das crianças e os contextos para o seu desenvolvimento. 2009. Tese (Doutorado) - Universidade do Minho, Braga, Portugal, 2009.

SOLÉ, G. A compreensão do tempo e do tempo histórico pelas crianças: um estudo de caso com alunos portugueses do 1º. CEB. Diálogos, Mato Grosso, v. 19, n. 1, p. 143-179, 2015. Disponível em http://www.uem.br/dialogos/index.php?journal=ojs&page=issue&op=current. Acesso em: 15 maio 2019.

STRAUSS, A.; CORBIN, J. Basics of qualitative research: grounded theory, procedures and techniques. Newbury Park: Sage Publications, 1990.

THORNTON, S. J.; VUKELICH, R. Effects of children´s understanding of time concepts on historical understanding. Theory and Research in Social Education Winter, [Maryland], v. 16, n. 1, p. 69-82, 1988.

VUKELICH, R.; THORNTON, S. J. Children's understanding of historical time: implications for Instruction. Childhood Education, Wheaton, v. 67, n. 1, p. 22-25, 1990.

WILSCHUT, A. A forgotten key concept?: time in teaching and learning history. In: INTERNATIONAL CONGRESS OF HISTORICAL SCIENCES, 21., 2010, Amsterdam. Anais […]. Amsterdam: University of Applied Sciences, 2010. p. 1-24.

WOOD, Sydney. Development an understanding of time-sequencing issues. Teaching History, Londres, v. 79, p. 11-14, 1995.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1984-7939.2020v5n1p31

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Educação em Análise

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Educação em Análise
Issn: 2448-0320
E-mail: educanalise@uel.br

 

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença 
Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.