"Pode contar comigo e com o grupo pro que precisar”: autoria, ética e participação na pesquisa com jovens internautas

Dilton Ribeiro Couto Junior, Maria Luiza Magalhães Bastos Oswald, Helenice Mirabelli Cassino Ferreira, Felipe da Silva Ponte de Carvalho

Resumo


As pesquisas que investigam no contexto das redes sociais digitais vêm se tornando mais comuns nas ciências humanas. Privilegiamos uma relação de parceria com os sujeitos, reconhecendo que a interação com eles é imprescindível na formulação dos caminhos metodológicos do estudo. Esses percursos de pesquisa na internet são o foco de discussão deste artigo, que busca compreender os processos de participação, ética e autoria implicados numa investigação fruto de pesquisa de doutorado recentemente concluída. Para isso, partimos da abordagem histórico-cultural, centralizando nossos esforços teórico-metodológicos nas contribuições de dialogismo e alteridade de Mikhail Bakhtin e de seus interlocutores, que privilegiam a participação do outro na escolha dos percursos metodológicos e na produção do conhecimento.

Palavras-chave


Dialogismo. Ética. Pesquisa.

Texto completo:

PDF

Referências


AMORIM, M. Memória do objeto: uma transposição bakhtiniana e algumas questões para a educação. Bakhtiniana, São Paulo, v. 1, n. 1, p. 8-22, 2009. Disponível em: https://bit.ly/2RDnfze. Acesso em: 1 ago. 2017.

AMORIM, M. O pesquisador e seu outro: Bakhtin nas ciências humanas. São Paulo: Musa Editora, 2001.

AMORIM, M. Cronotopo e exotopia. In: BRAIT, B. (org.). Bakhtin: outros conceitos-chave. São Paulo: Contexto, 2008. p. 95-114.

BAKHTIN, M. Estética da criação verbal. Tradução de Paulo Bezerra. 6. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2011.

BAKHTIN, M. Problemas da poética de Dostoiévski. Tradução de Paulo Bezerra. 4. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2008.

BONILLA, M. H. S. Escola aprendente: comunidade em fluxo. In: FREITAS, M. T. A. (org.). Cibercultura e formação de professores. Belo Horizonte: Autêntica, 2009. p. 23-40.

COUTO JUNIOR, D. R.; FERREIRA, H. M. C.; OSWALD, M. L. M. B. Compartilhando experiências sobre o “armário”: as conversas online como procedimento metodológico da pesquisa histórico-cultural na cibercultura. Revista Interface Científica – Educação, Aracaju, v. 6, n. 1, p. 23-34, out. 2017. Disponível em: https://bit.ly/2SNjuIP. Acesso em: 3 abr. 2018.

FERREIRA, H. M. C. Dinâmicas de uma juventude conectada: a mediação dos dispositivos móveis nos processos de aprender-ensinar. 2014. 272f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2014.

FREITAS, M. T. A. A perspectiva sócio-histórica: uma visão humana da construção do conhecimento. In: FREITAS, M. T. A.; JOBIM E SOUZA, S.; KRAMER, S. (org.). Ciências humanas e pesquisa: leituras de Mikhail Bakhtin. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2007. p. 26-38.

FREITAS, M. T. A. A pesquisa de abordagem histórico-cultural: um espaço educativo de constituição de sujeitos. Revista Teias, Rio de Janeiro, v. 10, n. 19, p. 1-12, 2009. Disponível em: https://bit.ly/2yTgpPc. Acesso em: 10 abr. 2017.

GERALDI, J. W. A diferença identifica: a desigualdade deforma: percursos bakhtinianos de construção ética e estética. In: FREITAS, M. T. A.; JOBIM E SOUZA, S.; KRAMER, S. (org.). Ciências humanas e pesquisa: leituras de Mikhail Bakhtin. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2007. p. 39-56.

HINE, C. Virtual ethnography: modes, varieties, affordances. In: FIELDING, N.; LEE, R. M.; BLANK, G. (org.). The SAGE handbook of online research methods. Los Angeles: Sage, 2008. p. 257-270.

HINE, C. How can qualitative internet researchers define the boundaries of their projects? In: MARKHAM, A. N.; BAYM, N. (org.). Internet inquiry: conversations about method. Los Angeles: Sage, 2009. p. 1-20.

JOBIM E SOUZA, S.; ALBUQUERQUE, E. D. P. A pesquisa em ciências humanas: uma leitura bakhtiniana. Bakhtiniana, São Paulo, v. 7, n. 2, p. 109-122, jul./dez. 2012. Disponível em: https://bit.ly/2qu49A5. Acesso em: 15 set. 2015.

JOBIM E SOUZA, S.; SALGADO, R. G. Mikhail Bakhtin e a ética das imagens nos estudos da infância: uma proposta de pesquisa-intervenção. In: CASTRO, L. R.; BESSET, V. L. (org.). Pesquisa-intervenção na infância e juventude. Rio de Janeiro: Trarepa: FAPERJ, 2008. p. 490-513.

KRAMER, S. Autoria e autorização: questões éticas na pesquisa com crianças. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 116, p. 41-59, jul. 2002. Disponível em: https://bit.ly/2Do3jgz. Acesso em: 15 abr. 2016.

LARROSA, J. Notas sobre a experiência e o saber de experiência. Revista Brasileira de Educação, Rio de janeiro, n. 19, p. 20-28, jan./fev./mar./abr. 2002. Disponível em: https://bit.ly/1ryFC8Q. Acesso em: 10 mar. 2017.

LEMOS, A. Cibercultura como território recombinante. In: MARTINS, C. D.; CASTRO E SILVA, D.; MOTTA, R. (org.). Territórios recombinantes: arte e tecnologias. São Paulo: Instituto Sérgio Motta, 2007. p. 35-48.

MACEDO, N. M. R. “Você tem face?” Sobre crianças e redes sociais online. 2014. 296f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2014.

MACEDO, N. M. R.; FLORES, R. L. B. O retorno às crianças como etapa da pesquisa feita com elas: caminhos e desafios. In: PEREIRA, R. M. R.; MACEDO, N. M. R. (org.). Infância em pesquisa. Rio de Janeiro: Nau, 2012. p. 237-257.

NICOLACI-DA-COSTA, A. M. Revoluções tecnológicas e transformações subjetivas. Psicologia: Teoria e Pesquisa, Brasília, v. 18, n. 2, p. 193-202, maio/ago. 2002. Disponível em: https://bit.ly/2je2DPf. Acesso em: 10 jun. 2017.

NUNES, M. F. R.; KRAMER, S. Linguagem e alfabetização: dialogando com Paulo Freire e Mikhail Bakhtin. Revista Contemporânea de Educação, Rio de Janeiro, v. 6, n. 11, p. 26-47, jan./jul. 2011. Disponível em: https://bit.ly/2OqqTdR. Acesso em: 10 abr. 2017.

PEREIRA, R. M. R. Por uma ética da responsividade: exposição de princípios para a pesquisa com crianças. Currículo Sem Fronteiras, [S. l.] v. 15, n. 1, p. 50-64, jan./abr. 2015. Disponível em: https://bit.ly/2QlFs3Z. Acesso em: 23 maio 2017.

PEREIRA, M. R. R.; SALGADO, R. G.; JOBIM E SOUZA, S. Pesquisador e criança: dialogismo e alteridade na produção da infância contemporânea. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 39, n. 138, p. 1019-1035, set./dez. 2009. Disponível em: https://bit.ly/2D4x595. Acesso em: 5 mar. 2015.

PRETTO, N. L. Redes sociais e educação: o que quer a geração alt+tab nas ruas? Liinc em Revista, Rio de Janeiro, v. 10, n. 1, p. 344-350, maio 2014. Disponível em: https://bit.ly/2zuoeKF. Acesso em: 15 jan. 2017.

RAMOS, B. S.; SCHAPPER, I. (Des)atando os nós da pesquisa na abordagem histórico-cultural. In: FREITAS, M. T. A.; RAMOS, B. S. (org.). Fazer pesquisa na abordagem histórico-cultural: metodologias em construção. Juiz de Fora: Ed. UFJF, 2010. p. 25-35.

RECUERO, R. Atos de ameaça à face e à conversação em redes sociais da internet. In: PRIMO, A. (org.). Interações em rede. Porto Alegre: Editora Sulina, 2013. p. 51-69.

ROSA, A. C. P. S.; FERREIRA, H. M. C.; OSWALD, M. L. M. B. Práticas culturais juvenis: máscaras contemporâneas. Revista da FAEEBA, Salvador, v. 19, n. 33, p. 215-227, jan./jun. 2010.

Disponível em: https://bit.ly/2PFeAid. Acesso em: 25 maio. 2012.

SANTAELLA, L. Intersubjetividade nas redes digitais: repercussões na educação. In: PRIMO, A. (org.). Interações em rede. Porto Alegre: Editora Sulina, 2013. p. 33-47.

SANTAELLA, L.; LEMOS, R. Redes sociais digitais: a cognição conectiva do Twitter. São Paulo: Paulus, 2010.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1984-7939.2019v4n2p289

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Educação em Análise

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Educação em Análise
Issn: 2448-0320
E-mail: educanalise@uel.br

 

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional