Uma abordagem da santificação do feminino em face da educação no Cariri cearense

Polliana de Luna Nunes Barreto, Patrícia Helena Carvalho Holanda

Resumo


Tratamos das representações sociais tendo como recorte o gênero em face da perspectiva educacional. Enfocamos, de modo particular, a relação entre a constituição dos cenários educacionais e a elaboração de práticas discursivas em torno da função de gênero amplamente disseminada na modernidade. A discussão empreendida reflete acerca dos percursos construídos historicamente para a constituição das representações do feminino, tendo como objeto de análise as dinâmicas educacionais entrelaçadas ao fenômeno de santificação popular de mulheres na região do Cariri cearense. Na primeira seção expomos a atualidade da violência contra o feminino naquele território. Seguimos ressaltando os aspectos educacionais que compõem a História da Educação caririense de modo concatenado à religiosidade daquele lugar e estabelecemos, por fim, considerações acerca da relação entre os modelos educacionais propagados na modernidade e localizados naquele território, a violência de gênero e as práticas que se voltam para a santificação do feminino na contemporaneidade. A abordagem qualitativa se ancora na produção teórica concernente ao campo da História Cultural. Não parece coincidência que a região do Cariri cearense mate e santifique suas mulheres em igual medida. Historicamente, o território elabora um culto às mulheres assassinadas por seus companheiros, construindo com a violência do feminino uma relação metafísica.

Palavras-chave


Educação, Gênero, Santidade.

Texto completo:

PDF

Referências


A VOZ da religião no cariry. A dedicação das mulheres a casa de caridade, Crato, Ceará,v. 3, 1868.

BANDEIRA, A. As beatas de Ibiapina: relações de gênero na administração das casas de caridade do padre Ibiapina (Sertão-Norte Do Brasil, 1860-1883) In: ENCONTRO DA REDE FEMINISTA NORTE E NORDESTE DE ESTUDOS E PESQUISA SOBRE A MULHER E RELAÇÕES DE GÊNERO–REDOR, 18., 2014, Paraíba. Anais [...].

Paraíba: Universidade Federal da Paraíba, 2014. p. 3543- 3560.

BENIGNA. Santana do Cariri - 24 de Outubro de 2017 - Romaria da Serva de Deus Benigna Cardoso Da Silva!. [Blog] Jovem Benigna, [S. l.], 9 set. 2017. Disponível em: http://jovembenigna.blogspot.com/. Acesso em: ago. 2019.

BOURDIEU, P. A dominação masculina: a condição feminina e a violência simbólica. Rio de Janeiro: Edições Best Bolso, 2014.

CEARÁ registra média de 3,5 casos de violência doméstica por dia em janeiro. G1 CE, Ceará, 5 fev. 2017. Disponível em: http://g1.globo.com/ceara/noticia/2017/02/ceararegistra-media-de-35-casos-de-violencia-domestica-por-dia-em-janeiro.html. Acesso em: ago. 2019.

CERTEAU, M. A invenção do cotidiano: 1, artes de fazer. Petrópolis: Vozes, 1994.

CHAHON, S. Visões da religiosidade católica no Brasil Colonial. Revista Digital Simonsen, Rio de Janeiro, n. 1, dez. 2014. Disponível em: http://www.simonsen.br/revistadigital/wp-content/uploads/2014/12/Revista-Simonsen_N1_Sergio-Chahon.pdf. Acesso em: ago. 2019.

CHARTIER, R. A história cultural: entre práticas e representações. São Paulo: Difel, 1990.

EDUC. ANÁL., LONDRINA, V.4, N.1, P.136-153, JAN/ JUL. 2019.

ELIAS, N. O processo civilizador: formação do estado e civilização. Rio de Janeiro: Zahar, 1993. v. 2.

FOUCAULT, M. História da sexualidade 2: o uso dos prazeres. São Paulo: Graal, 2000.

FOUCAULT, M. História da sexualidade 1: a vontade de saber. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2012.

FOUCAULT, M. A ordem do discurso. São Paulo: Ed. Loyola, 2014.

FROTA, M. H. P. (org). Assassinato de mulheres no Ceará. Fortaleza: Edmeta Editora: Ed. UECE, 2008.

HIRIGOYEN, M. F. A violência no casal: da coação psicológica à agressão física. Tradução de Maria Helena Kühner. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2006.

LETTIERE , Angelina; NAKANO, Ana Márcia Spanó. Violência doméstica: as possibilidades e os limites de enfrentamento. Revista Latino-Americana de Enfermagem. vol.19, no.6, 19(6):[08 telas], Ribeirão Preto Nov./Dec. 2011.

MIGUEL, L. F.; BIROLI, F. Feminismo e política: uma introdução. São Paulo: Boitempo, 2014.

PARKER, R. G. Corpos, prazeres e paixões: a cultura sexual no Brasil contemporâneo. São Paulo: Best-Seller: Abril Cultural, 1991.

QUEIROZ, Z. F. Redes de combate à violência praticada contra as mulheres no Cariri cearense. Crato: URCA, 2011. Relatório de Extensão.

SAFFIOTTI, H. Gênero, patriarcado e violência. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2004.

WAISELFISZ, J. J. Mapa da violência 2015 homicídio de mulheres no Brasil. Brasília: OPAS/OMS: ONU Mulheres: SPM e Flacso, 2015. Disponível em: http://www.onumulheres.org.br/wpcontent/uploads/2016/04/MapaViolencia_2015_mulhere s.pdf. Acesso em: mar. 2019.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1984-7939.2019v4n1p123

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Educação em Análise

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Educação em Análise
Issn: 2448-0320
E-mail: educanalise@uel.br

 

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional