Boy or girl? Planejando um objeto de aprendizagem digital no teded

Samantha Gonçalves Mancini Ramos, Michele Andressa Vieira Ramos

Resumo


Este artigo relatou/analisou um conjunto de atividades produzidas para a disciplina Objetos de Aprendizagem Digitais nas aulas de Línguas Estrangeiras ministrada em 2016 no Mestrado Profissional de Ensino de Línguas Estrangeiras (MEPLEM) da Universidade Estadual de Londrina. Nosso objetivo foi apresentar as etapas do planejamento de um Objeto de Aprendizagem Digital (OAD) intitulado Boy Or Girl? que explorou as potencialidades do TedEd e a temática de identidade de gêneros. A partir desta experiência, pretendeu-se analisar potencialidades e problemáticas envolvidas na criação de OAD para o ensino de Língua Inglesa no Ensino Médio. Este foi um estudo qualitativo no qual faremos uma análise temática (BRAUN; CLARKE, 2006) de forma a identificar, analisar e relatar padrões dentro dos dados a partir do referencial teórico que deu sustentação a esta produção: Ambientes informatizados de aprendizagem (COSTA; OLIVEIRA, 2004), Tecnologia Educacional (MATTOS, 1997; MAGGIO, 1997), Letramento Digital (MARTIN, 2008; ESHET-ALKALAI, 2004), Objetos de Aprendizagem Digitais (WILEY, 2002; SILVA, 1998) e Repositórios Digitais (SCHWARZELMÜLLER; ORNELLAS, 2006; SANTOS, 2013).

Palavras-chave


Objetos de aprendizagem digitais; Línguas estrangeiras.OBJETOS DE APRENDIZAGEM DIGITAIS

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Ministério da Educação. Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. Projeto um computador por aluno (UCA). 2017a. Disponível em: http://www.fnde.gov.br/programas/proinfo/eixos-de-atuacao/projeto-um-computadro-por-aluno-uca. Acesso em: 15 ago. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. Programa um computador por aluno (PROUCA). 2017b. Disponível em: http://www.fnde.gov.br/programas/proinfo/eixos-de-atuacao/programa-um-computador-por-aluno-prouca. Acesso em: 15 ago. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Proinfo: apresentação. 2018. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/secretaria-de-educacao-a-distancia-sp-2090341739/programas-e-acoes?id=244. Acesso em: 15 ago. 2019.

BRAUN, V.; CLARKE, V. Using thematic analysis in psychology. Qualitative Research in Psychology, London, v. 3, n. 2, p. 77-101, 2006.

COSTA, J. W.; OLIVEIRA, M. A. M. Ambientes informatizados de aprendizagem. In: COSTA, J. W.; OLIVEIRA, M. A. M. (org.). Novas linguagens e novas tecnologias: educac?a?o e sociabilidade. Petro?polis, RJ: Vozes, 2004. p. 111-138.

ESHET-ALKALAI, Y. Digital Literacy: a conceptual framework for survival skills in the digital era. Journal of Educational Multimedia and Hypermedia, Charlottesville, v. 13, n. 1, p. 93, 2004.

ESPURI, P. H. A Política do tablete educacional no ensino de inglês em escolas do Estado do Paraná. In: CONGRESSO LATINO-AMERICANO DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE LÍNGUAS, 6., 2017, Londrina. Anais [...]. São Paulo: Blucher Education Proceedings, 2017. Disponível em: http://www.proceedings.blucher.com.br/article-details/a-poltica-do-tablete-educacional-no-ensino-de-ingls-em-escolas-do-estado-do-paran-25511. Acesso em: 15 ago. 2019.

IEEE - Institute of Electrical and Electronic Engineers. Learning technology standards committee. Draft standard for learning object metadata version 6.1. 2001. Disponível em: http://ltsc.ieee.org/doc/. Acesso em: 15 ago. 2019.

LOUREIRO, V. J. S. A aquisição do espanhol instrumental na plataforma Moodle. Anais do Encontro Virtual de Documentação em Software Livre e Congresso Internacional de Linguagem e Tecnologia Online, Belo Horizonte, v. 4, n. 1, p. 1-6, jun. 2015. Disponível em:http://www.periodicos.letras.ufmg.br/index.php/anais_linguagem_tecnologia/article/view/8486/7467. Acesso em: 15 ago. 2019.

MAGGIO, M. O campo da tecnologia educacional: algumas propostas para a sua reconceitualização. In: LITWIN, E. (org.). Tecnologia educacional: política, histórias e propostas. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997. p. 12-22.

MARTIN, A. Digital literacy and the "digital society". In: LANKSHEAR, C.; KNOBEL, M. (ed.). Digital literacies: concepts, policies and practices. New York: Peter Lang, 2008. p. 151-176.

MATTOS, M. Aprendizagem e tecnologia educacional. Separata de: Revista Tecnologia Educacional, Rio de Janeiro, v. 22, n. 125, p. 8-11, jul./ago. 1997.

PARANÁ. Secretaria da Educação. Diretrizes para o uso de tecnologias educacionais. Curitiba: SEED, 2010. (Série Cadernos temáticos). Disponível em: http://www.educadores.diaadia.pr.gov.br/arquivos/File/cadernos_tematicos/diretrizes_uso_tecnologia.pdf. Acesso em: 15 ago. 2019.

PARANÁ. Secretaria da Educação. Programas e projetos conectados 2.0. Dia a Dia Educação, Curitiba, 2019. Disponível em: http://www.gestaoescolar.diaadia.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=1731. Acesso em: 15 ago. 2019.

PARANÁ. Secretaria de Estado da Educação do Paraná. Diretrizes curriculares da educação básica língua estrangeira moderna. Curitiba: Secretaria de Estado da Educação do Paraná, 2008.

SANTOS, A. I. Recursos educacionais abertos no Brasil: o estado da arte, desafios e perspectivaspara o desenvolvimento e inovaçãosão. São Paulo: CETIC.br, 2013.

SCHWARZELMULLER, A.; ORNELLAS, B. Os objetos digitais e suas utilizações no processo de ensino-aprendizagem. In: CONFERENCIA LATINO AMERICANA DE OBJETOS DE APRENDIZAJE, 1., 2006, Guayaquil. Anais [...]. Guayaquil: [s.n.], 2006.

SILVA, C. Bases pedagógicas e ergonômicas para concepção e avaliação de produtos educacionais informatizados. 1998. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Produção) - Universidade Federal Santa Catarina, Florianópolis, 1998.

TEDED. Lessons worth sharing: create a lesson. 2019a. Disponível em: https://ed.ted.com/lessons. Acesso em: 15 ago. 2019.

TEDED. The mathematics of sidewalk illusions: Fumiko Futamura. 2019b. 1 vídeo (4m 54s). Disponível em: https://ed.ted.com/lessons/the-mathematics-of-sidewalk-illusions-fumiko-futamura#watch. Acesso em: 15 ago. 2019.

WILEY, D. Connecting learning objects to instructional design theory: a definition, a metaphor, and a taxonomy. In: WILEY, D. The instructional use of learning objects. Bloomington: Agency for Instructional Technology, 2002. p. 1-35.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1984-7939.2019v4n1p103

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Educação em Análise

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Educação em Análise
Issn: 2448-0320
E-mail: educanalise@uel.br

 

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional