Autorregulação da aprendizagem: adaptação e evidências de validade de instrumentos para universitários brasileiros

Soely Aparecida Jorge Polydoro, Camila Alves Fior, Adriane Martins Soares Pelissoni, Pedro Sales Luís Rosário

Resumo


O objetivo desse estudo é apresentar as adaptações transculturais para a realidade brasileira e as evidências de validade de três instrumentos direcionados à compreensão da autorregulação da aprendizagem em estudantes do ensino superior: Inventário de Processos de Autorregulação da Aprendizagem (IPAA), Questionário de Instrumentalidade da Autorregulação da Aprendizagem (QIAR) e Questionário de Autoeficácia para a Autorregulação da Aprendizagem (QAEAR). As etapas envolvidas no presente estudo foram: (1) traduções das escalas de suas versões portuguesas e adaptações de itens ao contexto brasileiro; (2) análise das propriedades psicométricas das três escalas. As evidências de validade foram obtidas através da Análise Fatorial Exploratória realizada com uma amostra de 2006 estudantes, matriculados em instituições públicas e privadas, em cursos de áreas de conhecimento distintas. Os três instrumentos adaptados para o Brasil confirmaram a unidimensionalidade das escalas e a permanência do mesmo número de itens das versões portuguesas. Os coeficientes de consistência interna também se mostraram satisfatórios. Os resultados sugerem que as versões brasileiras do IPAA, do QIAR e do QAEAR produzem medidas válidas e confiáveis para a mensuração dos processos de autorregulação da aprendizagem, da instrumentalidade e das crenças de autoeficácia para a autorregulação da aprendizagem de estudantes brasileiros.

Palavras-chave


Autorregulação. Autoeficácia; Avaliação; Aprendizagem; Ensino superior

Texto completo:

PDF

Referências


BANDURA, A. Social foundations of thought and action: a social cognitive theory. Englewood Cliffs: Prentice-Hall, 1986.

BANDURA, A. Social cognitive theory of self-regulation.Organizational behavior and human decision processes, San Diego, v. 50, n. 2, p. 248-287, 1991.

BANDURA, A. Perceived self-efficacy in cognitive development and functioning. Educational Psychologist, Hillsdale, NJ, v.28, n. 2, p.117-148, 1993.

BANDURA, A. Social cognitive theory: an angentic perspective. Annual Rev. Psychology, Palo Alto, v.52, p.1-26, 2001.

BORUCHOVITCH, E. Autorregulação da aprendizagem: contribuições da psicologia educacional para a formação de professores.Revista da Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional, São Paulo, v. 18, n.3, p. 401-409, 2014.

BRASIL. Ministério da Educação. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Censo da educação superior. Brasília, DF: MEC, 2017.

CADÓRIO, L.; VEIGA SIMÃO, A. M. Autorregulação da aprendizagem: um desafio para o desenvolvimento profissional de professores. In: CADÓRIO, L.; VEIGA SIMÃO, A. M. (org.). Mudanças nas concepções e práticas dos professores. Lisboa: Edições Vieira da Silva, 2013.p. 129-148.

CASTRO, M. A. N. Processos de auto–regulação da aprendizagem: impacto de variáveis académicas e sociais. 2007. Dissertação (Mestrado em Psicologia Escolar e da Educação) - Universidade do Minho, [Portugal], 2007.

CEREZO, R. Autorregulacióndelaprendizajeenelámbito universitário¿ por qué por quéahora?. [2011?]. Tese (Doutoramento) -Universityof Oviedo, Espanha,[2011?]. No prelo.

COSTA, M. Procrastinação, auto-regulação e gênero. 2007. Dissertação (Mestrado) – Instituto de Educação e Psicologia, Universidade do Minho, Portugal, 2007.

COULON, A. O ofício de estudante: a entrada na vida universitária. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 43, n. 4, p. 1239-1250, dez. 2017.

EL-KHAWAS, E.Themanydimensionsofstudentdiversity. In: WOODARD, S. R.; KOMIVES, D. B. et al. Student services:a handbook for the profession. 4. ed. San Francisco: Jossey-Bass, 2004. p. 45-62.

EMÍLIO, E. R. V.; POLYDORO, S. A. J. Autorregulação da aprendizagem: fundamentos e implicações no contexto educativo. In: POLYDORO, S. A. J. (org.). Promoção da autorregulação da aprendizagem: contribuições da teoria social cognitiva. Porto Alegre, RS: Editora Letra 1, 2017.v. 3, p. 19-31.

GANDA, D.; BORUCHOVITCH, E. Autorregulação da aprendizagem: principais conceitos e modelos teóricos. Psicologia da Educação, São Paulo, n.46, p. 71-80, 2018.

GRAHAM, S.; HARRIS, K. R.; MACARTHUR, C.; SANTANGELO, T. Self-regulation and writing.In: SCHUNK, D. H.; GREENE, J. A. (ed.). Handbook of self-regulation of learning. 2. ed. New York: Routledge, 2018. p. 138-152.

HAIR JUNIOR, J.F.; BLACK, W.C.; BABIN, B.J.; ANDERSON, R.E.; TATHAM, R.L. Análisemultivariada de dados.6. ed. Porto Alegre: Bookman, 2009.

HUSMAN, J.; DERRYBERRY, W. P.; CROWSON, M.H.; LOMAX, R. Instrumentality, task value, and intrinsic motivation: making sense of their independent interdependence. ContemporaryEducationalPsychology, New York, v. 29, n. 1, p. 63-76, 2004.

ISHII, I.; KRASILCHIK, M.; LEITE, R.C. Diversidade de alunos: o caso da USP. Revista de Educação Pública, Cuiabá, v. 23, n. 54, p. 681-700, 2014.

MADEIRA, L. R. B.; ARAÚJO, M. V.; HEIN, C. F.; MARINHO, H.Adaptationof a self-regulatedpracticebehaviourscale for portuguesemusicstudents. Psychology of Music, Thousand Oaks, CA, v. 46, n. 6, p. 795-812, 2018.

MCCARTHY, J. P.; ANDERSON, L. Active learning techniques versus traditional teaching styles: two experiments from history and political science. Innovative Higher Education, New York, v. 24, p. 279-294, 2000.

NÚÑEZ, J. C.; GONZALEZ, J. A.; CEREZO, R.; ROSÁRIO, P. Implementation of training programs in self-regulated learning strategies in moodle format: results of a experience in higher education. Psicothema,Oviedo, ES, v. 23, n.2, p. 274-281, 2011.

NUNES, T. Programa de promoção de competências de aprendizagem em alunos do 1º ano do ensino superior: um estudo de caso com alunos de insucesso académico. 2009. Dissertação (Mestrado) – Instituto de Educação e Psicologia, Universidade do Minho, Portugal, 2009.

PAJARES, F.; OLAZ, F. Teoria social cognitiva e auto-eficácia: uma visão geral. In: BANDURA, A.; AZZI, R.; POLYDORO, S. A. J. (org.). Teoria social cognitiva: conceitos básicos. Porto Alegre: Artmed, 2008. p. 97-114.

PASQUALI, L. Psicometria. Revista da escola de enfermagem da USP, São Paulo, v. 43, p. 992-999, dez. 2009. Número especial.

PELISSONI, A.M.S. Eficácia de um programa híbrido de promoção da autorregulação da aprendizagem para estudantes do ensino superior. 2016. Tese (Doutorado) – Unicamp, Campinas, São Paulo, 2016.

PELISSONI, A. M. S.; POLYDORO, S. A. J. Programas de promoção da autorregulalção da aprendizagem. In: POLYDORO, S. A. J. (org.). Promoção da autorregulação da aprendizagem: contribuições da teoria social cognitiva. Porto Alegre, RS: Editora Letra 1, 2017.v.3, p. 33-44.

PINA, F.; ROSÁRIO, P.; TEJADA, J.; LARA, E. Promocióndelaprendizaje estratégico y competencias de aprendizajeenestudiantes de primero de universidad: evaluación de una intervención. Revista de InvestigacionEducativa, Salamanca, v.24, n.2, p.615-632, 2006.

PINTRICH, P. R. The role of goal orientation in self-regulated learning.In: BOEKAERTS, M.; PINTRICH, P. R.; ZEIDNER, M. (ed.). Handbook of self-regulation.Cambridge: Academic Press, 2000.p. 452-502.

POLYDORO, S. A. J.; OLIVEIRA, K. L.; MERCURI, E. N. G. S.; SANTOS, A. A. A. Uso de instrumentos de avaliação na produção científica envolvendo universitários brasileiros. Avaliação Psicológica, São Paulo, v. 15, p. 45-55, 2016. Número especial. DOI: 10.15689/ap.2016.15ee.05.

POLYDORO, S. A. J.; AZZI, R. G. Apontamentos preliminares: a autorregulação na teoria social cognitiva. In: POLYDORO,S. A. J. (org.). Promoção a autorregulação da apredizagem: contribuições da teoria social cognitiva. Porto Alegre, RS: Editora Letra 1, 2017.v.1, p. 11-17.

POLYDORO, S. A. J.; PELISSONI, A. M. S.; CARMO, M. C.; EMILIO, E. R. V.; DANTAS, M. A.; ROSÁRIO, P. Promoção da autorregulação da aprendizagem na universidade: percepção do impacto de uma disciplina eletiva. Revista Educação PucCamp, Campinas, v. 20, n. 3, p. 201-213, set./dez. 2015.

ROSÁRIO, P.; MOURAO, R.; NÚÑEZ, J. C.; GONZÁLEZ-PIENDA, J.; SOLANO, P.; VALLE, A.Eficacia de un programa instruccional para lamejora de procesos y estrategias de aprendizajeenlaenseñanza superior. Psicothema, Oviedo, ES, v. 19, n. 3, p. 353-358, 2007.

ROSÁRIO, P. Questionário de auto-eficácia e instrumentalidade da autorregulação da aprendizagem. [Portugal]: Universidade do Minho, 2009. Versão para investigação. Manuscrito.

ROSÁRIO, P.; NUNES, T.; MAGALHÃES, C.; RODRIGUES, A.; PINTO, R.; FERREIRA, P. Processos de auto-regulação da aprendizagem em alunos com insucesso no 1.º ano de Universidade. Revista Semestral da Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional, São Paulo, v. 14, n. 2, p. 349-358, jul./dez. 2010.

ROSÁRIO, P.; PAIVA, O.;GONZÁLEZ-PIENDA, J. A.; LOURENÇO, A. A.; NÚÑEZ, J. C.; VALLE, A.Inventário de processos de auto-regulação da aprendizagem (IPAA). In: MACHADO, C.; GONÇALVES, M.; ALMEIDA, L.S.; SIMÕES, M.R. (ed.) Instrumentos e contextos de avaliação psicológica. São Paulo: Almedina, 2011.v. 1, p.159-174.

ROSÁRIO, P.; LOURENÇO, A.; PAIVA, M. O.; NÚÑEZ, J. C.; GONZÁLEZ-PIENDA, J. A.; VALLE, A.Autoeficacia y utilidadpercibida como condiciones necesarias para unaprendizaje académico autorregulado.Anales de Psicologia, Murcia, ES, v.28, n.1, p.37-44, 2012.

ROSARIO, P; POLYDORO, S. A. J. Capitanear o aprender: promoção da autorregulação da aprendizagem no contexto escolar. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2014. v. 1.

ROSÁRIO, P.; PEREIRA, A., HÖGEMANN, J., NUNES, A. R., FIGUEIREDO, M., NÚÑEZ, J. C., FUENTES, S., GAETA, M.L.Autorregulacióndelaprendizaje: una revisiónsistemáticaen revistas de la base SciELO*. Univ. Psychol. Bogotá, Colombia, v. 13, n. 2,p. 781-797, abr./jun.2014a.DOI:10.11144/Javeriana.UPSY13-2.aars.

ROSÁRIO, P. et al. Transcultural analysis of the effectiveness of a program to promote self-regulated learning in Mozambique, Chile, Portugal and Spain.HigherEducactionResearch&Development, [London], v.4, p. 1-15, 2014b.

ROSÁRIO, P.; NÚÑEZ, J.;GONZÁLEZ-PIENDA, J.Cartas do Gervásio ao Seu Umbigo:comprometer-se com o estudar na universidade. 2. ed. São Paulo: Almedina-Brasil, 2017.

SALGADO, F. A. F.; POLYDORO, S.; ROSÁRIO, P. Programa de promoção da autorregulação da aprendizagem de ingressantes da educação superior. Psico-USF, BragançaPaulista, v. 23, p. 667-679, 2018.

SCHUNK, D. H.; GREENE, J. A. Historical, contemporary, and future perspectives on self-regulatedlearning and performance.In: SCHUNK, D. H.; GREENE, J. A (ed.). Handbook of self-regulation of learning. 2. ed. New York: Routledge, 2018. p. 1-17.

TINTO, V. Classrooms as communities: exploring the educational character of student persistence. The Journal of Higher Education, [London], v. 68, n. 6, p. 599, nov. 1997.

VARGAS, H.; HERINGER, R. Políticas de permanência no ensino superior público em perspectiva comparada: Argentina, Brasil e Chile. Archivos Analíticos de Políticas Educativas, Estados Unidos, v. 25, n. 72, p. 1-36, 2017. DOI: http://dx.doi.org/10.14507/epaa.25.2799.

WINNE, P. H.; PERRY, N. E.Measuring self-regulated learning. In: BOEKAERTS, M.; PINTRICH, P. R.; ZEIDNER, M. (ed.). Handbook of self-regulation.Cambridge: Academic Press, 2000.p. 531-566.

WOLTERS, C. A.; WON, S. Validity and the use of self-report questionnaires to assess self-regulated learning.In: SCHUNK, D. H.; GREENE , J. A (ed.). Handbook of self-regulation of learning. 2.ed. New York: Routledge, 2018. p. 307-322.

ZIMMERMAN, B. J. A social cognitive view of self-regulated academic learning.Journal of Educational Psychology, Arlington, v.81, n.3, p.329-339, 1989.

ZIMMERMAN, B. Attaining self-regulation: asocial cognitive perspective.In: BOEKAERTS, M.; PINTRICH, P. R.; ZEIDNER, M. (ed.). Handbook of self-regulation.Cambridge: Academic Press, 2000. p. 451-501.

ZIMMERMAN, B. Theories os self-regulated learning and academic achievement: an overview and analysis. In: ZIMMERMAN, B.; SCHUNK, D. Self-regulated learning and academic achievement: theorical, perspectives. 2.ed. Nova Jersey: Lawrence Erlbaum Associates, 2001. p.1-37.

ZIMMERMAN, B. Investigating self-regulation an motivation: historical background, methodological developments, and future prospects. American Educational Research Journal, Washington, v. 45, n. 1, p. 166-183, 2008.

Zimmerman, B. J., & Moylan, A. R. Self-regulation: Where metacognition and motivation intersect. In D. J. Hacker, J. Dunlosky, & A. C. Graesser (Eds.), The educational psychology series. Handbook of metacognition in education. New York, NY, US: Routledge/Taylor & Francis Group, p. 299-315, 2009.

ZIMMERMAN, B. J. Motivational sources and outcomes of self-regulated learning and performance.In: ZIMMERMAN, B. J.; SCHUNK, D. H. (ed.). Handbook of self-regulation of learning and performance. New York: Routledge, 2011. p. 49-64.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1984-7939.2019v4n1p21

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Educação em Análise

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Educação em Análise
Issn: 2448-0320
E-mail: educanalise@uel.br

 

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional