Aprender a profissão em cooperação: processo de formação docente para a infância

Cassiana Magalhães, Maria Assunção Folque

Resumo


Este texto é resultado de pesquisa realizada durante estágio de pós-doutoramento na Universidade de Évora – Portugal e tem por objetivo discutir a formação da profissão docente para a infância num contexto de cooperação entre Professoras da Universidade, Educadoras Cooperantes e Estagiárias do curso de Mestrado em Educação Pré-escolar da Universidade de Évora. A questão norteadora residiu em analisar como a tríade professora da universidade, educadora cooperante e estagiária contribui para a construção profissional docente. A coleta de dados resultou das escritas das alunas sobre o estágio; das observações da prática de estágio com crianças de três a seis anos de idade; dos encontros de supervisão realizados na PES (Prática de Ensino Supervisionada); entrevistas com os sujeitos da pesquisa; e, ainda, da análise de documentos que orientam a formação de educadores da infância na Universidade de Évora, como o regulamento da PES e o programa do Mestrado em Educação Pré-Escolar. Contribuíram diretamente para a geração de dados da pesquisa seis sujeitos, a saber: duas professoras da universidade, duas educadoras cooperantes e duas estagiárias. Os resultados revelaram compromisso com a qualidade da formação docente, capacidade de trabalho conjunto, especialmente a relevância da cooperação entre universidade, escola e estagiária ao criarem condições objetivas para a construção da docência voltada ao trabalho pedagógico na infância.

Palavras-chave


Educação Infantil; Estágio; Formação de Professores

Texto completo:

PDF

Referências


ARTUR, Ana. A construção das aprendizagens profissionais das educadoras de infância durante os processos de supervisão em estágio. 2015. Tese (Doutorado em Ciências da Educação) - Universidade de Évora, Évora/Portugal, 2015.

FOLQUE, Maria Assunção. Autoformação cooperada de professores no Movimento da Escola Moderna Portuguesa. In: PINHO, Sheila Zambello de (Org.). Formação de educadores: dilemas contemporâneos. São Paulo: Editora Unesp, 2011. p. 49-60.

FOLQUE, Maria Assunção; COSTA, Maria da Conceição da; ARTUR, Ana. A formação inicial e desenvolvimento profissional de educadores/professores monodocentes: os desafios do isomorfismo pedagógico. In: CORRÊA, Carlos Humberto Alves; CAVALCANTE, Lucíola Inês Pessoa; BISSOLI, Michelle de Freitas (Org.). Formação de professores em perspectiva. Manaus: EDUA, 2016. p. 177-236.

FOLQUE, Maria Assunção. A formação de educadores/as de infância: da exigência e complexidade da profissão ao projeto de formação na UniverCidade de Évora. Poiésis, Revista do Programa de Pós-graduação em Educação, Unisul, Tubarão, v. 12, n. 21, p.32-56, jan./jun. 2018.

FORMOSINHO, João. Dilemas e tensões da Universidade frente à formação de profissionais de desenvolvimento humano. São Paulo: USP, 2009. (Cadernos de Pedagogia Universitária, 8).

GOMES, Marineide Oliveira. Formação de educadores de infância em Portugal e professores de educação infantil no Brasil: aproximações e distanciamentos. Educação Unisinos, v. 21, n. 1, p. 50-59, jan./abr., 2017.

GOMES, Marineide Oliveira. Estágios na formação de professores: possibilidades formativas entre ensino, pesquisa e extensão. São Paulo: Edições Loyola, 2011.

LEONTIEV, Alexei Nikolaievich. O desenvolvimento do psiquismo. Lisboa: Horizonte Universitário, 1978.

LEONTIEV, Alexei Nikolaievich. Uma contribuição à teoria do desenvolvimento da psique infantil. In: VYGOTSKI, Lev Semenovich; LURIA, Alexander Romanovich; LEONTIEV, Alexei Nikolaievich. Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. 11. ed. São Paulo: Ícone, 2010. p. 59-83.

MARINO FILHO, Armando. O significado como fundamento da motivação para a atividade de estudo. In: REUNIÃO NACIONAL DA ANPEd, 37., 2015, Florianópolis. Anais... Florianópolis: UFSC, 2015.

MELLO, Suely Amaral. Infância e humanização: algumas considerações na perspectiva histórico-cultural. Perspectiva, Florianópolis, v. 25, n. 1, p. 83-104, jan./jun. 2007.

NASCIMENTO, Mari Clair Moro. Estágio Curricular: Implicações na Formação e na atuação para a docência. Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Filosofia e Ciências – UNESP, 2018.

NASCIMENTO, Mari Clair Moro; BARBOSA, Raquel Lazzari Leite. Formação inicial docente: o estágio como espaço de aprendizagens. Nuances: Estudos sobre Educação, Presidente Prudente, v. 25, n. 3, p. 225-243, set./dez. 2014.

NIZA, Sérgio. O modelo curricular de educação pré-escolar da escola moderna portuguesa. In: Oliveira-Formosinho, Júlia (Org.). Modelos curriculares para a educação de infância. Porto: Porto Editora, 1998. p. 139-157.

NIZA, Sérgio. O trabalho educativo na educação democrática. Editorial. In: NÓVOA, António; MARCELINO, Francisco, RAMOS do Ó, Jorge. Sérgio Niza: escritos sobre educação. Lisboa: Movimento da Escola Moderna e Edições Tinta-da-China, 2012. p. 67-68.

NÓVOA, António. Firmar a posição como professor, afirmar a profissão docente, Cadernos de Pesquisa, v. 47, n. 166, p. 1106-1133, out./dez. 2017.

NÓVOA, António. Para una formación de professores construída dentro de la profesión. Revista de Educación, v. 350, p. 203-218, set./dez. 2009.

PIMENTA, Selma Garrido; LIMA, Maria Socorro Lucena. Estágio e docência: diferentes concepções. Poíesis, Revista do Programa de Pós-graduação em Educação, Unisul, Tubarão, v. 3, n. 3/4, p. 5-24, 2005/2006.

OSTETTO, Luciana Esmeralda. Deslocamentos, aproximações, encontros: estágio docente na educação infantil. In: GOMES, Marineide de Oliveira. Estágios na formação de professores: possibilidades formativas entre ensino, pesquisa e extensão. São Paulo: Edições Loyola, 2011. p. 79-98.

PORTUGAL. Ministério da Educação. Orientações Curriculares para a Educação Préescolar. Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação (DGE), 2016.

SAVIANI, Dermeval. Formação de professores no Brasil: dilemas e perspectivas. Poíesis Pedagógica, UFG, v. 9, n. 1, p. 7-19, jan./jun. 2011. Disponível em: . Acesso em: 7 abr. 2016.

UNIVERSIDADE DE ÉVORA. Relatório final da CAE: novo ciclo de estudose. 2016. Disponível em: http://gdoc.uevora.pt/389426. Acesso em: 7 abr. 2016.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1984-7939.2018v3n1p73

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Educação em Análise

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Educação em Análise
Issn: 2448-0320
E-mail: educanalise@uel.br

 

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença 
Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.