Metodologias ativas e a construção de portfólios digitais: indicadores de interação, autonomia e novas práticas na formação de professores

Eneida Santana Baumann, Eduardo Fofonca, Tereza Kelly Gomes Carneiro

Resumo


O presente artigo trata-se de uma investigação acerca do uso das metodologias ativas na construção de portfólios digitais, como elementos de significação nos processos de ensino e aprendizagem, mais especificamente no curso de licenciatura em Matemática do Instituto Federal da Bahia - Campus Camaçari. Assim, por meio de um estudo de caso, propôs-se o levantamento de indicadores de interação entre os discentes, prática docente e recursos digitais para a ampliação de uma discussão didática. Tal discussão contextualiza-se através das concepções teórico-metodológicas de autonomia, problematização e avaliação em espaços virtuais de aprendizagem. O estudo destacou que diante de sujeitos multissemióticos e multiletrados, torna-se necessário educar para multiplicidade de metodologias e crítica didática, logo, não há como pensar os processos de ensino e aprendizagem de forma unitária e depositária, sem a inclusão da colaboração, problematização e autonomia dos estudantes. Contudo, torna-se urgente a disseminação das metodologias ativas na prática da formação dos futuros docentes, pois repensar o processo formativo impulsiona-os a construir um cenário diferente, mais dinâmico e problematizador para os seus futuros estudantes. 


Palavras-chave


Metodologia ativa; Formação de professores; Portfólios digitais; Autonomia.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1984-7939.2017v2n2p303

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Educação em Análise

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Educação em Análise
Issn: 2448-0320
E-mail: educanalise@uel.br

 

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional