Emprego formal na agropecuária no estado do Paraná: uma análise por sexo

Josineide Aquino da Silva Amaral, Karla Cristina Tyskowski Teodoro Rodrigues, Jefferson Andronio Ramundo Staduto

Resumo


O presente trabalho analisa a rotatividade e o crescimento do emprego formal na agropecuária e sua distribuição para as microrregiões do Paraná no período de 2008 a 2016. Em termos metodológicos foram utilizados dados extraídos da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS) do Ministério do Trabalho e do Emprego (MTE). Os resultados mostraram que a rotatividade masculina e feminina é alta em todas as microrregiões do Paraná e que o emprego formal na agropecuária vem caindo ao longo do período. Em relação a criação líquida de emprego masculino mostrou que no setor agropecuário apenas 8 microrregiões do estado do Paraná tiveram crescimento do emprego acima de 3%. No caso feminino, no período de 2008 a 2016, as microrregiões que tiveram maior crescimento do emprego feminino estão localizadas no Centro-Sul, Oeste, Sudeste, Noroeste Paranaense. Desta forma, procede a preocupação sobre a permanência dos trabalhadores rurais no campo.

Palavras-chave


Rotatividade; Agricultura; Emprego e Sexo

Texto completo:

PDF

Referências


BALSADI, O. V. Mudanças no meio rural e desafios para o desenvolvimento sustentável. São Paulo Perspectiva. São Paulo, v.15, n.1, 2001, p. 155-165.

BALSAN, Rosane. Impactos Decorrentes da Modernização da Agricultura Brasileira.

BRITO, F. O deslocamento da população brasileira para as metrópoles. Estudos Avançados. vol.20, no.57, São Paulo May/Aug. 2006, p. 221-236.

CAMPO-TERRITÓRIO: Revista de geografia agrária, v. 1, n. 2, ago. 2006, p. 123-151. Disponível em: www.miniweb.com.br/geografia/artigos/agricultura/mod_agricola.pdf. Acesso em: 20 de agosto de 2017.

BASCO, C. A. Emprego e Trabalho na Agricultura Brasileira. In Miranda, C.; Tibúrcio B. (org.). Série Desenvolvimento Rural Sustentável. Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura – IICA, Brasília. Disponível em Data de Acesso em: 15 junho de 2017, 2008.

BAZOTTI, A.; SUGAMOSTO, M. Renda das famílias rurais paranaenses: uma análise exploratória. Cad. IPARDES. Curitiba, PR, ISSN 2236-8248, v.1, n.2, jul./dez. 2011, p. 45-61.

BUAINAIN, A. M.; DEDECCA, C. S. Introdução: emprego e trabalho na agricultura brasileira. In: BUAINAIN, A. M; DEDECCA, C. S. (Orgs.). Emprego e trabalho na agricultura brasileira, Brasília: IICA, 2008.

CAGED - Cadastro de Empregados e Desempregados. Postos Formais. Disponível em:< portal.mte.gov.br/imprensa/caged>. Acesso em: 20 maio de 2017.

CAGED - Cadastro de Empregados e Desempregados. Postos Formais. O mercado de trabalho assalariado rural brasileiro. Estudos e pesquisas. DIEESE - nº 74 - outubro de 2014.

DAVIS, S.; HALTIWANGER, J. Gross job creation, gross job destruction, and employment reallocation. The quarterly journal of economics, vol. 107, issue 3, 1992, p. 819-863.

CNA – Confederação Nacional de Agricultura e Pecuária do Brasil. Balanço 2016. 2017. Disponível em: www.cnabrasil.org.br/sites/default/files/sites/default/files/uploads/ 15_avicultura.pdf. Acesso em: 20 de agosto de 2017.

DIEESE. A situação do trabalho no Brasil na primeira década dos anos 2000. São Paulo, 2012.

FAO - Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação. Women’s Work. In: The State of food and agriculture 2010-2011. Roma, 2011, p.07-22.

FARIA, N. Economia feminista e agenda de lutas das mulheres no meio rural. In: BUTTO, A. org. Estatísticas Rurais e a Economia Feminista: Um olhar sobre o trabalho das mulheres. Brasília: MDA, 2009.

FERREIRA, R. S. A.; SOUZA, V. S. M.; HARB, A. G. Mercado de Trabalho Formal na região Norte: uma análise por gênero. XIV Simpósio de Administração da Produção, Logística e Operações Internacionais – SIMPOI, 2011. Disponível em http://www.simpoi.fgvsp.br/arquivo/2011/site/index. Acesso: agosto de 2017.

GONÇALES, J. C.; PONTILI, R. M.; SOUZA, E. L. C. Crescimento do mercado de trabalho paranaense atinente ao segmento industrial, de abate e fabricação de produtos de carne, na década de 2000. In: ENCONTRO DE PRODUÇÃO CIENTIFICA E TECNOLOGICA, 6. 2011, Campo Mourão. Anais... Campo Mourão: FECILCAM/NUPEN, 2011, 15 p.

HERRERA, K. M. Uma análise do trabalho da mulher rural através da perspectiva da multifuncionalidade agrícola. Seminário Internacional Fazendo Gênero 10 (Anais Eletrônicos), ISSN 2179-510X, Florianópolis, 2012.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo demográfico 2010. Disponível em http://www.ibge.gov.br/estadosat/temas. Acesso em 20 Julho de 2017.

IPARDES — INSTITUTO PARANAENSE DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL. Produto bruto do Paraná 1980—94: nova metodologia. 1995.

IMAFLORA. Perspectivas Agricultura. n. 03, novembro 2016. Disponível em: http://www.imaflora.org/downloads/biblioteca/583420241a0d5_Perspectiva_Imaflora_3_novembro_2016_Umaanlisedosavanosecontradiesdaagricultura.pdf. Acesso em: 24 de agosto de 2017.

LIRA, W.; CÂNDIDO, G. Gestão sustentável dos recursos naturais: uma abordagem participativa. Campina Grande: EDUEPB, 2013, p.325.

LOPES, M. N. Analise da divisão sexual do trabalho na unidade de produção familiar agrícola. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE SOCIOLOGIA, 11.,2003. São Paulo. Anais...São Paulo: SOCIEDADE BRASILEIRA DE SOCIOLOGIA, 2003.

MARCONDES, W. B.; ROTENBERG, L.; PORTELA, L. F.; MORENO, C. R. C. O peso do trabalho "leve" feminino à saúde. São Paulo Perspectiva. vol.17, nº2. São Paulo Apr./June 2003. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-88392003000200010. Acesso em: 24 de agosto de 2017.

MELO, H. P.; DI SABATTO, A. Gênero e Trabalho Rural 1993/2006. Universidade Federal Fluminense, Rio de Janeiro, RJ, 2007. Disponível em:www.iica.int/esp/regiones/sur/brasil/lists/DocumentosTecnicosAbertos/Attachments/464/Alberto_Di_Sabatto_-_Hildete_P_de_Melo_-_NEAD_-_genero_e_trabalho_rural.pdf. Acesso: agosto de 2017.

MENDONÇA, Marcelo Rodrigues. A Modernização da Agricultura e os Impactos sobre o Trabalho. Revista Electrónica de Geografia y Ciencias Sociales n. 119. Universidad de Barcelona, 2002.

MESQUITA, G. R. I. ASPECTOS DE GÊNERO NO MEIO RURAL. Universidade Federal de G. Escola de Veterinária e Zootecnia programa de pós-graduação em ciência animal, 2012. Disponível em: http://ppgca.evz.ufg.br/up/67/o/Gabriela_Riad_1c.pdf. Acesso: Março de 2017.

MOURÃO, P. Organizações Produtivas de Mulheres Rurais. Instituto Interamericano de Cooperação para agricultura, IICA: São Paulo, julho 2011. Disponível em: http://www.iica.int/Esp/regiones/sur/brasil/Lists/DocumentosTecnicosAbertos/DispForm.aspx?ID=390. Acesso em: agosto de 2017.

NAKABASHI, L.; SCATOLIN, F. D.; CRUZ. M. J. V. Impactos Da Mudança Estrutural Da Economia Brasileira Sobre O Seu Crescimento. Revista Econômica Contemporânea, Rio de Janeiro, v. 14, n. 2, maio/ago. 2010, p. 237-268.

NEVES, D; MEDEIROS, L. (Orgs.) Mulheres camponesas: trabalho produtivo e engajamentos políticos. Niterói: Alternativa, 2013.

OCEPAR. Cooperativismo e agroindústria no Paraná. Curitiba: Ocepar, 1986.

OLIVEIRA, L. M. S. R.; COSTA, R. A.B.A; SOUZA, V. M. Trabalhadoras no campo no semiárido baiano: o impacto da sua renda na qualidade de vida da família extensa. Áskesis - Revista dos Discentes do PPGS/UFSCar | v. 1 | n. 1 | jan/jul, 2012, p. 106 – 122.

OSAKABE, E. Caracterização do trabalho feminino no rural do Brasil: in: Congresso Brasileiro de Economia e Sociologia Rural, 43, Ribeirão Preto. Anais. Ribeirão Preto. SOBER, 2005.

PIFFER, M. A Teoria da Base Econômica e o desenvolvimento regional do Estado do Paraná no final do século XX. Tese (Doutorado em Desenvolvimento Regional) - Universidade de Santa Cruz do Sul, UNISC, Santa Cruz do Sul, 2009.

RAIS - RELAÇÃO ANUAL DE INFORMAÇÃO SOCIAL. Características do Emprego Formal. Disponível em: http://portal.mte.gov.br/pdf. Acesso em agosto de 2017.

SILIPRANDI, E. C. Mulheres e Agroecologia: a construção de novos sujeitos políticos na agricultura familiar. 2009. 291f. Tese (Doutorado em Desenvolvimento Sustentável) – Centro de Desenvolvimento Sustentável, Universidade de Brasília, Brasília-DF, 2009.

SILVA FILHO, Luís Abel da. Mudanças Estruturais, Mercado de Trabalho e Rotatividade no Emprego Agropecuário no Brasil. Revista de Desenvolvimento Econômico – RDE. Ano XV, n° 27, junho de 2013-BA, p.05-15. Disponível em www.revistas.unifacs.br. Acesso em 02 de junho de 2017.

SOUZA, M. ; STADUTO, J. A. R.; NASCIMENTO, C. A. ; WADI, Y. M. ; TONDO, I. S. P.. Desenvolvimento rural e gênero: as ocupações e rendas das mulheres das famílias agrícolas e rurais sul-rio-grandenses. In: XVI Encontro Nacional de Estudos Populacionais, 2008, Caxambu. Encontro Nacional de Estudos Populacionais. Campinas: ABEP,. v. 1, p. 1-10, 2008.

SOUZA, O. C.; SILVEIRA, J. S. T.; MOREIRA, A. P.; FRANZIN, R. F.; DALONGARO, R. C.; MELLO, E. P. Estimativa da demanda e da oferta de recursos hídricos para o ano de 2015, frente às perspectivas de evolução demográfica e econômica no estado do Paraná. 2º FÓRUM INTERNACIONAL ECOINOVAR Santa Maria/RS – 23 e 24 de Setembro de 2013.

STADUTO, J. A. R.; NASCIMENTO, C. A. ; SOUZA, M. . Ocupações e renda das mulheres e homens no rural do estado do Paraná, Brasil: uma perspectiva de gênero. Cuadernos de Desarrollo Rural, v. 72, p. 91-115, 2013.

WILLERS, E. M.; LIMA, J. F.; STADUTO, J. A. R. Desenvolvimento local, empreendedorismo e capital social: o caso de Terra Roxa no estado do Paraná. Interações, Campo Grande, v. 9, n. 1, p. 45-54, 2008

ZANCHET, M. S. Tendências e desafios do emprego rural no Paraná. Revista Paranaense De Desenvolvimento, Curitiba, n.118, p.159-173, jan./jun. 2010

.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2317-627X.2020v8n1p163

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Economia e Região
E-ISSN: 2317-627X
DOI: 10.5433/2317-627X

Contato: 55-43-3371-4255
E-mail: rer@uel.br