A Curva de Kuznets Ambiental para a região norte do Brasil entre os anos de 2002 a 2015

Matheus Gama de Almeida, Tarcísio da Costa Lobato

Resumo


A Região Norte brasileira tem sido centro de debates socioambientais por concentrar a maior parte da Amazônia Legal e nela estar ocorrendo um grande crescimento de atividades agropecuárias, florestal, mineral, industrial e outras atividades urbanas. Esta ampliação tem gerado vários impactos e um deles é a deterioração do meio ambiente. Neste ensejo, o presente estudo tem o intuito de modelar uma Curva de Kuznets Ambiental para a região Norte do Brasil para o período 2002 a 2015. Para isso, foram coletados dados sobre o PIB per capita – proxy de crescimento econômico - no IBGE e SIDRA. E os dados anuais da emissão de CO2 – proxy da degradação ambiental - para os sete estados da região norte, foram obtidos através do SEEG. Para a análise dos resultados foi utilizado o método de dados em painel. Verifica-se que Rondônia e Acre possuem as maiores variabilidades de emissão de CO2 nos anos estudados e que Roraima, Pará, Amapá e Tocantins mantiveram uma variabilidade pequena entre os anos. Esses resultados também semelhantes aos encontrados no PIB per capita. Sobre o formato da CKA para a região Norte do Brasil, conclui-se que ela se apresenta na forma de um U não invertido, como proposto na teoria.

Palavras-chave


Crescimento econômico; Degradação ambiental; Curva de Kuznets Ambiental.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2317-627X.2019v7n1p7

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Economia e Região
E-ISSN: 2317-627X
DOI: 10.5433/2317-627X

Contato: 55-43-3371-4255
E-mail: rer@uel.br