A ética protestante e o espírito empreendedor: evidências empíricas do Brasil

Luan Vinicius Bernardelli, Lechan Colares Santos, Gustavo Henrique Leite de Castro, Ednaldo Michelon

Resumo


As constantes alterações no cenário econômico brasileiro impactaram diretamente os níveis de desemprego, obrigando os agentes a tomarem decisões importantes em relação a manutenção de suas rendas. Uma das alternativas utilizadas para essa finalidade é o empreendedorismo, via criação do próprio negócio. Contudo, tomar esta decisão envolve diversos fatores, sendo importante identificá-los e mensurá-los. Assim, o presente estudo objetivou analisar as características que determinam a decisão de empreender e estimar como a religião pode afetar essa decisão. Mais especificamente o estudo verificou a relação entre a religião protestante e a decisão de empreender, controlando para outros fatores apontados pela literatura. Para tanto, a base de dados utilizada foi construída por meio dos microdados dos Censos Demográficos de 1991, 2000 e 2010. Os dados foram modelados por meio do modelo de Regressão Logística e os resultados apontam que ser protestante eleva as chances de ser empreendedor em 10,30%, 8,2% e 2%, respectivamente em relação a 1991, 2000 e 2010 e 3,3% em relação a amostra total, mostrando que a religião é um fator que deve ser considerado ao se analisar os determinantes do empreendedorismo.

Palavras-chave


Empreendedorismo; Comportamento religioso; Protestantismo; Comportamento econômico

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2317-627X.2019v7n1p127

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Economia e Região
E-ISSN: 2317-627X
DOI: 10.5433/2317-627X

Contato: 55-43-3371-4255
E-mail: rer@uel.br