Ciclos econômicos políticos oportunistas ou partidários? uma aproximação empírica para os municípios brasileiros entre 2000 e 2012

Edson Guilherme Correia, Lucas Casonato

Resumo


Este trabalho investiga se ocorrem Ciclos Políticos Econômicos (CPE) nas eleições municipais brasileiras entre 2000 e 2012, tomando como referência as teorias clássicas dos CPE e suas derivações. Analisa empiricamente a influência dos gastos públicos, nível de renda e região geográfica na reeleição de prefeitos e nas sucessões partidárias, para determinar qual modelo teórico se aplica melhor ao caso das cidades brasileiras, se Oportunista ou Partidário. A estratégia econométrica compreende a aplicação de dois modelos Probit, um painel com efeitos aleatórios e um binário estruturado como painel (pooled). Conclui que há evidências de que ocorrem Ciclos Políticos do tipo Oportunista nos municípios brasileiros durante o período analisado.

 

Abstract

 

This paper investigates the occurrence of Political Business Cycles (PBC) in the Brazilian municipal elections between 2000 and 2012, taking as reference the classical theories of CPE and their derivations. It empirically analyzes the influence of public expenditures, income level and geographic region on re-election of mayors and party successions, to determine which theoretical model best applies to the case of Brazilian cities, whether Opportunist or Partisan. The econometric strategy comprises the application of two Probit models, a panel with random effects and a binary structured as a panel (pooled). It concludes that there is evidence that Opportunistic Political Cycles occur in the Brazilian municipalities during the analyzed period.

 

Keywords: Political Business Cycles. Re-election. Party succession. Public spending. Municipal elections.


Palavras-chave


Ciclos Políticos Econômicos; Reeleição; Sucessão partidária; Gastos públicos; Eleições municipais.

Texto completo:

PDF

Referências


ALESINA, Alberto; SACHS, Jeffrey. Political Parties and the Business Cycle in the United States, 1948-1984. Journal of Money Credit and Banking, vol.20, n.1, p. 63-82, 1988.

ALESINA, Alberto. Macroeconomic Policy in a Two-Party System as a Repeated Game. The Quarterly Journal of Economics, vol. 102, n.3, p. 651-678, 1987.

BITTENCOURT, Jeferson L. Evidências de ciclo político na economia brasileira: um teste para a execução orçamentária dos governos estaduais — 1983/2000. Dissertação (mestrado em economia) — Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2002.

BRASIL. Emenda Constitucional N° 16, de 14 de junho de 1997, que dá nova redação ao § 5º do art. 14, ao caput do art. 28, ao inciso II do art. 29, ao caput do art. 77 e ao art. 82 da Constituição Federal. Diário Oficial da União. Brasília, 1997.

BUCHANAN, James M. Custo e escolha: Uma indagação em teoria econômica. Rio de Janeiro: Instituto Liberal, 1993.

CARVALHO, Frederico A. A.; OLIVEIRA, Kleber V. A contabilidade governamental e a teoria dos ciclos políticos: uma análise empírica fiscal e contábil sobre os municípios do estado do rio de janeiro - 1998 / 2006. Revista de Educação e Pesquisa em Contabilidade, vol. 3, n.1, p. 46-64, 2009.

DOWNS, Anthony. An Economic Theory of Political Action in a Democracy. Journal of Political Economy, vol. 65, n.2, p.135-150, 1957.

FIALHO, Tânia M. M. Ciclos Políticos: uma resenha. Revista de Economia Política, vol. 19, n.2, p. 131-149, 1999.

FINBRA. Finanças do Brasil. Tesouro Nacional. Disponível em: http://www.tesouro.fazenda.gov.br/pt_PT/contas-anuais. Acesso em 01/05/2015.

FRANÇA, Marco T. A.; DUENHAS, Rogério A.; GONÇALVES, Flávio de O. Impactos eleitorais de políticas públicas municipais: uma analise de painel de dados para o Brasil: 1996-2007. 8º Encontro da ABPC. 01 a 04 de ago. Gramado – RS, 2012.

HIBBS, Douglas A. Jr. Political parties and macroeconomic policy. American Political Science Review, vol. 71, n.4, p. 1467-1487, 1977.

IPEADATA. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. Disponível em: http://www.ipeadata.gov.br/Default.aspx. Acesso em 01/05/2015.

MARTINS, Rodrigo C. A. As Teorias de Ciclos Políticos e o Caso Português. Grupo de Estudos Monetários e Financeiros (GEMF). Nº 5. Faculdade de Economia, Universidade de Coimbra, 2002.

NAKAGUMA, Marcos Y.; BENDER, Siegfried. Ciclos políticos e resultados eleitorais: um estudo sobre o comportamento do eleitor brasileiro. Revista Brasileira de Economia, vol. 64, n.1, p. 3-24, 2010.

NORDHAUS, William D. The Political Business Cycle. The Review of Economic Studies, vol. 42, n. 2, p. 169-190, 1975.

ROGOFF, Kenneth; SIBERT, Anne. Elections and Macroeconomic Policy Cycles. The Review of Economic Studies, vol. 55, n.1, p.1-16, 1988.

SAKURAI, Sergio N. Ciclos políticos nas funções orçamentárias dos municípios brasileiros: Uma análise para o período 1990-2005 via dados em painel. Estudos Econômicos, vol. 39, n.1. p. 39-58, 2009.

-----. Testando a hipótese de ciclos eleitorais racionais nas eleições dos municípios paulistas. Estudos Econômicos, vol. 35, n.2, p. 297-315, 2005.

SECCHI, Ana C. L. Impacto das eleições sobre os gastos municipais em Mato Grosso. Monografia (graduação em ciências econômicas) – Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá, 2007.

SILVA, Eveliny B. Modelos dinâmicos de resposta binária para dados em painel. Dissertação (mestrado em ciências exatas e da terra) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2010.

TSE. Tribunal Superior Eleitoral. Disponível em: http://www.tse.jus.br/eleitor-e-eleicoes/estatisticas/eleicoes/eleicoes-anteriores/estatisticas-eleitorais-anos-anteriores. Acesso em 01/05/2015.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2317-627X.2018v6n1p7

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Economia e Região
E-ISSN: 2317-627X
DOI: 10.5433/2317-627X

Contato: 55-43-3371-4255
E-mail: rer@uel.br