Domingos Vandelli e o déficit no real erário português no final dos setecentos

Ricardo Dalla Costa

Resumo


Este trabalho tem por objetivo discutir as difíceis condições econômicas e as recomendações de política econômica sugerida por Domingos Vandelli para equacionar e promover o equilíbrio fiscal de Portugal no final dos setecentos. Iniciando com uma prévia proposta de Vandelli sobre institucionalização do conhecimento na Sciencia das Finanças para posteriormente expor as dificuldades na manutenção do Reino em momentos não justificáveis como ordenados onerosos e mesmo gastos militares, investimentos em manufatura, artes e ciência sem que houvesse naquele momento uma real economia de guerra. Como resultado, não se concretizou a ideia de uma Sociedade Econômica portuguesa uma vez que fora transmutado em uma Academia de Ciências. No que diz respeito ao déficit no Real Erário, verificou-se aumento dos gastos do Estado português concomitantemente com a queda na arrecadação do além-mar, e por fim, o oportunismo por trás das dificuldades financeiras da metrópole levava Vandelli a fazer duras críticas aos gestores financeiros e usurários que tiravam proveito de uma situação emblemática e sugerir políticas econômicas para equilibrar as finanças públicas.


Palavras-chave


História Econômica; História da Ciência luso-brasileira; Domingos Vandelli; Final do século XVIII

Texto completo:

PDF

Referências


ARQUIVO NACIONAL DO RIO DE JANEIRO (ANRJ), Memórias de Domingos Vandelli. Rio de Janeiro: Fundo Negócios Estrangeiros, Microfilmagem em 1992. Códice 807, v. 24 (1796-1802).

CARDOSO, José L. O pensamento económico em Portugal nos finais do século XVIII: 1780-1808. Lisboa: Estampa, 1989.

FERRAZ, M. H. M., ALFONSO-GOLDFARB, A. M.; WAISSE. Silvia I. Reflexões sobre a constituição de um corpo documental para a história da ciência: um estudo de caso do Brasil – Colônia e Brasil Reino. Acervo, p. 42-53, 2013. Disponível em: http://www.revistaacervo.an.gov.br/seer/index.php/info/article/view/ 591/486. Acesso em 29 de Agosto de 2014.

FERRAZ, M. H. M. A fabricação da pólvora e trabalhos sobre o salitre: Portugal e Brasil de finais de Século XVIII ás primeiras décadas do século XIX. In: KURY, L.; GESTEIRA, H. (Org.). Ensaios de história das ciências no brasil: das luzes à nação independente. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2012. p. 153-166.

FERRAZ, M. H. M. As ciências em Portugal e no Brasil (1772-1822): O texto conflituoso da química. São Paulo: Educ e Fapesp, 1997.

FERRAZ, M. H. M. Domingos Vandelli e os estudos químicos em Portugal no final do século XVIII. Química Nova, 18, n. 5, p. 500-504, 1995.

JOBIM, Leopoldo Collor. Domingos Vandelli e a Revolução Francesa. Revista de História das Ideias, 10, p. 249-264, 1988. Disponível em: http://rhi.fl.uc.pt/vol/10/ljobim.pdf. Acesso em: 24 nov. 2014.

SERRÃO, J. V. Introdução. In: VANDELLI, D. Aritmética política, economia e finanças: 1770-1804. Lisboa: Banco de Portugal, 1994. (Colecção de Obras Clássicas do Pensamento Económico Português, v. 8)

VANDELLI, D. Aritmética Política, Economia e Finanças: 1770-1804. Lisboa: Banco de Portugal, 1994. (Colecção de Obras Clássicas do Pensamento Económico Português, v. 8).




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2317-627X.2015v3n2p73

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2015 Economia & Região

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

          

Economia e Região
E-ISSN: 2317-627X
DOI: 10.5433/2317-627X

Contato: 55-43-3371-4255
E-mail: rer@uel.br