Os capitéis como lugares de devoção e de celebração em comunidade: representação, memória e identidade em uma colônia italiana no sul do Brasil

Daniel Luciano Gevehr, Aline Nandi

Resumo


A pesquisa discute o processo de criação dos capitéis (pequenos oratórios) na localidade de Boa Esperança, município de Rolante (RS). O objetivo principal do estudo é analisar o contexto em que se deram essas construções na comunidade ítalo-riograndense da Boa Esperança, bem como os diferentes significados que as imagens presentes nesses espaços apresentam. Analisamos ainda a relação desses capitéis com as noções de identidade, religiosidade e etnicidade, presentes no contexto da Colônia Boa Esperança, que atualmente desenvolve um projeto turístico conhecido como Caminho das Pipas. Dessa forma, o estudo aprofunda a discussão sobre a dinâmica que envolve a ressignificação desses lugares, considerados sagrados pela comunidade, desde sua criação até os dias atuais.

Palavras-chave


Capitéis; Imigração Italiana; Memória e identidade.

Texto completo:

PDF

Referências


ABREU, Regina; CHAGAS, Mário (Orgs). Memória e Patrimônio: ensaios contemporâneos. 2 ed. Rio de Janeiro: Lamparina, 2009.

AUGÉ, Marc (Org.). A construção do mundo: religião, representações, ideologia. Lisboa: Edições 70, 2000.

BORGES, Maria Eliza Linhares (Org.). Inovações, coleções, museus. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2011.

BOSI, Ecléa. Memória e Sociedade: lembrança de velhos. 3 ed. São Paulo: Cia das Letras, 1994.

BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. 4 ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2001.

CAMBRUZZI, Mara. R. G.; GEVEHR, Daniel Luciano. Práticas femininas: percepções e significados - mulheres em Boa Esperança, Rolante (RS), 2008. Universo Acadêmico. Revista Científica das Faculdades Integradas de Taquara, v. 2, p. 79-111, 2009.

CANCLINI, Néstor. Culturas Híbridas. 4 ed. São Paulo: EDUSP, 2013.

CANDAU, Jöel. Memória e identidade. São Paulo: Contexto, 2012.

CATROGA, Fernando. Os passos do homem como retrolho do tempo: memória e fim do fim da história. 2 ed. Coimbra: Almedina, 2011.

CHAGAS, Gisele Fonseca. Identidades religiosas e fronteiras étnicas: um estudo do ritual da oração na comunidade muçulmana do rio de janeiro. Religião e Sociedade. Rio de Janeiro, v. 29, n. 2, p. 152-176, 2009.

CHAGAS, Mário. Memória política e política de memória. In: ABREU, Regina; CHAGAS, Mário (Orgs.). Memória e Patrimônio. Ensaios contemporâneos. 2 ed. Rio de Janeiro: Lamparina, 2009, p. 136-167.

CHOAY, Françoise. A alegoria do patrimônio. São Paulo: Editora da UNESP, 2001.

FEITOSA, Mônica Nascimento; SILVA, Sandra Siqueira da. Patrimônio Cultural imaterial e políticas públicas: os saberes da culinária regional como fator de desenvolvimento local. XI Congresso Luso Afro Brasileiro de Ciências Sociais. Salvador: UFBA, p. 193-208, 2011.

FOCHESATTO, Iloni. Descrição do culto aos mortos entre descendentes italianos no Rio Grande do Sul. Caxias do Sul: Escola Superior de Teologia, 1977.

GINZBURG, Carlo. Mitos, emblemas, sinais. 2 ed. São Paulo: Cia. Das Letras, 2012.

GONÇALVES, José Reginaldo Santos. O Patrimônio como categoria de pensamento. In: ABREU, Regina; CHAGAS, Mário (Orgs.). Memória e Patrimônio: ensaios contemporâneos. 2 ed. Rio de Janeiro: Lamparina, 2009, p. 25-40.

GUÉRIOS, Paulo Renato. As condições sociais de produção das lembranças entre imigrantes ucranianos. Mana. Vol.14, n. 2, p. 367-398, 2008.

HALBWACHS, Maurice. A memória coletiva. São Paulo: Editora Centauro, 2004.

HALL, Stuart. Quem precisa de identidade? In: SILVA, Tomaz Tadeu da. (Org). Identidade e diferença: a perspectiva dos Estudos Culturais. 14 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014, p.103-133.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. Disponível em: Acesso em 09. mai. 2015.

LE GOFF, Jacques. História e Memória. 5 ed. Campinas: Editora da UNICAMP, 2003.

LEMOS JÚNIOR, Clésio Barbosa. Patrimônio Cultural: conceitos, proteção e direito pela educação patrimonial. IX Semana Nacional de Museus, Minas Gerais, v. 2, n. 1, p. 50-61, 2011.

LUCHESE, Terciane Ângela. Autoridades locais e imigrantes italianos: conflitos e consensos. História, Franca, v. 29, n. 1, p. 308-327, 2010.

NORA, Pierre. Entre memória e história: a problemática dos lugares. Projeto História, São Paulo, n.10, p. 7-28, dez. 1993.

PESAVENTO, Sandra. O imaginário da cidade: visões literárias do urbano – Paris, Rio de Janeiro, Porto Alegre. 2 ed. Porto Alegre: UFRGS, 2002.

POUTIGNAT, Philippe; STREIFF-FENART, Jocelyne. Teorias da Etnicidade: Seguido de Grupos Étnicos e suas Fronteiras de Frederik Barth. São Paulo: UNESP, 1998.

RICOEUR, Paul. A memória, a história, o esquecimento. Campinas: UNICAMP, 2007.

SCARPIM, Fábio Augusto. Família, religiosidade e identidade étnica nas práticas de transmissão de nomes de batismo em um grupo de imigrantes italianos. Rev. bras. estud. popul., São Paulo, v. 31, n.1. p. 135-150, jun. 2014.

SEYFERTH, Giralda. A dimensão cultural da imigração. Revista Brasileira de Ciências Sociais. Vol. 26, n. 77. p. 47-62, 2011.

SILVA, Tomaz Tadeu da (Org.). Identidade e diferença: A perspectiva dos Estudos Culturais. 14 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014.

SHIEROLT, José Alfredo. Rolante, rio que gera a história: homenagem pelos 50 anos do município. Rolante: J.A.S/Câmara Municipal de Vereadores, 2004.

THOMPSON, Edward Palmer. Costumes em comum: estudos sobre a cultura popular tradicional. São Paulo: Cia. das Letras, 2013.

TOMAZ, Paulo Cesar. A preservação do patrimônio cultural e sua trajetória no Brasil. Revista de História e Estudo Culturais. São Paulo, v. 7, n. 2, p. 1-12, maio/ago. 2010.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2237-9126.2016v10n18p29

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Domínios da Imagem
Telefone: 55 (43)3328-4589 
E-mail: dominiosdaimagem@uel.br
E-ISSN: 2237-9126