O perigo amarelo nas histórias em quadrinhos: Capitão América e discurso antinipônico nos Estados Unidos durante a Segunda Guerra Mundial

Richard André

Resumo


Este texto pretende demonstrar como as histórias em quadrinhos (HQ) constituem fontes que, articulando imagem e texto, possuem relações com o contexto histórico no qual foram produzidas, a despeito de sua natureza ficcional. Nesse sentido, os quadrinhos do Capitão América, durante a Segunda Guerra Mundial, foram utilizados como instrumentos que reelaboravam os principais elementos alardeados pelo discurso antinipônico nos Estados Unidos, principalmente a questão do perigo amarelo, associado à ideia de ameaça imperialista e militar. As HQ em foco assumiam, em parte, a função de educação dos olhares, reconstruindo e legitimando as ideologias bélicas do governo norte-americano. Como fontes, foram selecionadas algumas capas produzidas na conjuntura analisada, dada sua importância como protocolo de leitura. Da perspectiva epistemológica, foram adotados os conceitos de representação e apropriação propostos por Roger Chartier, bem como procedimentos para a interpretação de imagens como documentos para a pesquisa histórica.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2237-9126.2014v8n16p113

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Domínios da Imagem
Telefone: 55 (43)3328-4589 
E-mail: dominiosdaimagem2@gmail.com
E-ISSN: 2237-9126