O dispositivo de visibilidade de Memórias da Vila: retratos e relatos de vida no Aglomerado da Serra

Marcio de Vasconcelos Serelle, Júnia Maria Pinto de Campos

Resumo


Este artigo analisa a obra Memórias da Vila a partir do conceito de “dispositivo de visibilidade” em Rancière, entendido como um arranjo de linguagem que regula a atenção para os corpos representados. Articulando retratos e relatos de vida, o livro busca, na representação de moradores do Aglomerado da Serra, em Belo Horizonte, romper com estereótipos que marcam a comunidade. A análise dos elementos fotográficos e narrativos demonstra a potência da obra para propor um outro lugar a esses sujeitos subalternizados.

Palavras-chave


Dispositivo de visibilidade; Retrato; Relato de vida; Memórias da Vila.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1984-7939.2018v14n24p55

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Discursos Fotogr.

Londrina - PR

DOI: 10.5433/1984-7939

EISSN: 1984-7939

Email: revistadiscursos@uel.br




 
Esta obra está licenciada com uma licença Creative Commons Atribuição-Não comercial 4.0 Internacional.